Nota oficializa indicação de mais quatro ministros do governo Dilma

Nota oficializa indicação de mais quatro ministros do governo Dilma

Atualizado: Quinta-feira, 16 Dezembro de 2010 as 10:19

Em nota divulgada nesta quarta (15), a assessoria da presidente eleita Dilma Rousseff oficializou os nomes de mais quatro ministros que integrarão o governo a partir de 1º de janeiro, além do futuro chefe de gabinete de Dilma, Giles Azevedo. Com esses, são 20 os ministérios que já têm os futuros titulares confirmados. Se não for criada nenhuma nova pasta, faltam 17.

Os nomes dos ministros anunciados nesta quarta são os seguintes:

- Antonio Patriota (sem partido): Relações Exteriores

- Nelson Jobim (PMDB): Defesa

- Fernando Pimentel (PT): Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior

- Aloizio Mercadante (PT): Ciência e Tecnologia

Da esq. para a dir.: Patriota, Jobim, Mercadante e Pimentel

Segundo o texto da nota, divulgada pela assessoria da presidente eleita, "a presidente eleita orientou os novos auxiliares a trabalhar de forma integrada com os demais setores do governo para cumprir seu programa de desenvolvimento com distribuição de renda e estabilidade econômica, promovendo avanços e assegurando a melhoria de vida de todos os brasileiros".

Negociações

Partidos aliados, como PP, PCdoB, PDT e PSB, ainda negociam espaço no ministério de Dilma. Ao PSB, a presidente eleita ofereceu o Ministério da Integração e a Secretaria de Portos, que abrangerá o setor de aviação civil e aeroportos no futuro governo

O deputado federal Ciro Gomes (PSB-CE) foi convidado por Dilma para assumir um dos dois cargos. Na tarde desta quarta, o governador do Ceará e irmão de Ciro, Cid Gomes (PSB) afirmou que o deputado está na Europa e que ele telefonaria para a presidente eleita.

Ainda nesta quarta, Dilma se reuniu com o presidente do PP, senador Francisco Dornelles (RJ). Após o encontro, o senador afirmou que o Ministério das Cidades deve permanecer com o partido no futuro governo.

"Dissemos a ela [Dilma] que temos o Ministério das Cidades hoje e gostaríamos de manter. E que ela [Dilma] é livre para escolher o nome que ela quiser [dentre os filiados ao partido]", afirmou.

Questionado se já estava acertado que o ministério ficaria com o PP, Dornelles disse: "O Ministério das Cidades fica com o PP. Deve ficar com o PP. A presidente Dilma disse que considerou manter o ministério com o PP."

Uma fonte ligada ao PCdoB, que também se reuniu com Dilma, afirmou que a presidente eleita telefonou nesta quarta para o ministro do Esporte, Orlando Silva (PCdoB). Dilma teria dito a ele que a definição sobre quem comandará a pasta no futuro governo será nesta quinta (15) ou no sábado (18). O PCdoB negocia para manter o Ministério do Esporte sob seu comando.

Outro integrante do atual governo que trabalha para se manter no cargo é o ministro da Cultura, Juca Ferreira. Durante o balanço de oito anos do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, ele disse que "está otimista" sobre a possibilidade de continuar no ministério. Ferreira afirmou ainda acreditar que está "na frente" na disputa pela pasta.

Uma pasta que se mantém indefinida é o Ministério da Saúde. Dilma pretenderia um ministro com perfil técnico. Embora seja político,  o atual ministro de Relações Exteriores, o médico infectologista Alexandre Padilha (PT), é um dos cotados para o cargo.

Outros ministros

Antes do anúncio desta quarta, a assessoria de Dilma já havia divulgado os nomes de outros 16 ministros.

Na última quarta (8), dez tinham sido anunciados:

- Edison Lobão (PMDB-MA): Ministério das Minas e Energia

- Wagner Rossi (PMDB-SP): Ministério da Agricultura

- Pedro Novais (PMDB-MA): Ministério do Turismo

- Garibaldi Alves (PMDB-RN): Ministério da Previdência

- Moreira Franco (PMDB-RJ): Secretaria de Assuntos Estratégicos

- Ideli Salvatti (PT-SC): Ministério da Pesca

- Maria do Rosário (PT-RS): Secretaria de Direitos Humanos

- Paulo Bernardo (PT-PR): Ministério das Comunicações

- Alfredo Nascimento (PR-AM): Ministério dos Transportes

- Helena Chagas (sem partido): Secretaria de Comunicação Social

No último dia 3, a equipe de transição de governo informou os nomes dos ministros que vão compor o chamado "núcleo palaciano", todos integrantes da coordenação da campanha eleitoral de Dilma Rousseff:

- Antonio Palocci (PT-SP): Casa Civil da Presidência

- Gilberto Carvalho (PT-SP): Secretaria-Geral da Presidência

- José Eduardo Cardozo (PT-SP): Ministério da Justiça

O primeiro bloco de ministros oficializado pela presidente eleita reuniu os integrantes da equipe econômica:

- Guido Mantega (PT-SP): Ministério da Fazenda

- Miriam Belchior (PT-SP): Ministério do Planejamento

- Alexandre Tombini (sem partido): presidência do Banco Central

veja também