MENU

Nuvem vulcânica se dissipa e concentra-se no RS, diz Aeronáutica

Nuvem vulcânica se dissipa e concentra-se no RS, diz Aeronáutica

Atualizado: Sexta-feira, 10 Junho de 2011 as 3:03

 A nuvem cinza do vulcão chileno Puyehue, que cobriu durante toda a manhã cerca de 70% do Rio Grande do Sul e chegou até a região de Curitiba, começa a se dissipar no início da tarde desta sexta-feira (10), segundo a Força Aérea Brasileira (FAB).

  Nuvem de fumaça vulcânica sobre o Rio Grande do Sul (Foto: Reprodução/TV Globo)     Por volta das 12h40, a nuvem concentrava-se prioritaritariamente no Rio Grande do Sul, diminuindo sua cobertura e rigidez em Santa Catarina e Paraná. A informação foi repassada pelos órgãos brasileiros por boletim do Volcanic Ash Advisory Centres da Argentina, instituto responsável, segundo acordos internacionais, pelo monitoramento da situação no Cone Sul.

A nuvem se deslocava a uma velocidade média de 80 km/h. De acordo com Centro de Gerenciamento da Navegação Aérea (CGNA), que tem coordenado o tráfego aéreo nas áreas atingidas, a nuvem está concentrada entre 6 mil a 7,6 mil metros de altitude. Se mantidas as atuais condições meteorológicas, a tendência é que nuvens sigam para o Oceano Atlântico.

Voos cancelados

Até as 11h da manhã, dos 1.039 voos previstos até o horário no país, 106 deles (cerca de 19,8%) foram cancelados e outros 164 (15%) sofreram atrasos, segundo a Infraero.

A situação continua ruim no Aeroporto Internacional Salgado Filho, em Porto Alegre, onde diversas companhias aéreas suspenderam pousos e decolagens devido à nuvem do vulcão chileno Puyehue. No Salgado Filho, 39 decolagens foram canceladas até as 11h. Só houve um voo da Trip Linhas Aéreas que seguiu de Porto Alegre para Campo Grande (MS), segundo a Infraero. Nenhum pouso foi registrado no aeroporto até o momento.     Em Cumbica, passageiros aguardam informações

sobre voos internacionais que são cancelados por causa

da nuvem do vulcão (Foto: Agência Estado)     Voos que partiriam de São Paulo, Confins, Rio de Janeiro e Curitiba com destino ao Rio Grande do Sul foram cancelados nesta manhã.

Curitiba

Todos os voos do período da manhã, de Curitiba para Porto Alegre (RS) e para Bueno Aires, na Argentina, foram cancelados. De acordo com a Infraero, por volta das 7h desta manhã já havia cinzas no espaço aéreo de Curitiba, mas elas estavam distante das rotas dos aviões.

Segundo a FAB, o Aeroporto Internacional Afonso Pena, em Curitiba, permaneceu fechado pela manhã por causa de nevoeiro e más condições climáticas. Até as 11h, aponta a Infraero, 31 voos foram cancelados no local e outros 18 sofreram ou estavam atrasados.

São Paulo Treze voos que estavam previstos para sair do Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos, na região metropolitana, com destino a Buenos Aires (Argentina), Lima (Peru) e Montevidéu (Uruguai) haviam sido cancelados até as 11h desta sexta-feira, segundo a Infraero. No aeroporto, outros quatro voos com destino a Porto Alegre também foram cancelados.

Em Congonhas, na Zona Sul da capital paulista, foram 15 partidas canceladas, com destino a Porto Alegre (6), Curitiba (3), Navegantes (2), Joinville (2), Caxias do Sul (1) e Florianópolis (1).     Gol

A empresa aérea Gol divulgou informando que restabeleceu as operações de seus voos nas cidades de Florianópolis, Navegantes e Joinville, em Santa Catarina. Segundo a companhia, nestes aeroportos já é possível a Gol decolagens dentro de seu padrão de segurança.

Os voos com partida ou decolagem previstas para Porto Alegre, Caxias do Sul e Chapecó, no Brasil, e também para Buenos Aires, na Argentina, e em Montevidéu (Uruguai) permanecem cancelados. Segundo a empresa, os cancelamentos ocorrem devido ao avanço das cinzas do vulcão chileno Puyehue sobre o espaço aéreo dessas regiões.

Voos na Argentina

A maioria dos voos internacionais e domésticos dos dois aeroportos de Buenos Aires, na Argentina, e do aeroporto internacional de Montevidéu, no Uruguai, estavam cancelados nesta manhã. Na véspera, todos os voos internacionais e domésticos dos três aeroportos foram cancelados, segundo as autoridades.

A expectativa é que a nuvem de cinzas se dissipe no final da tarde desta sexta, o que permitiria retomar os voos no país vizinho.        

veja também