MENU

"O Bem Amado", de Guel Arraes, abre Festival do Recife fora de competição

"O Bem Amado", de Guel Arraes, abre Festival do Recife fora de competição

Atualizado: Terça-feira, 27 Abril de 2010 as 12

Foi no mínimo curiosa a forma com que os organizadores do Cine PE, o Festival do Recife, montaram a seleção deste ano, que começa nesta segunda (26) e vai até o dia 2 de maio. Os dois filmes mais aguardados da lista serão exibidos fora de competição, sem concorrer a prêmios.

"O Bem Amado", o mais novo filme de Guel Arraes (responsável pelo sucesso de "O Auto da Compadecida"), baseado em texto de Dias Gomes que já foi novela da Rede Globo nos anos 70, será o filme de abertura, reunindo um poderoso elenco global que inclui Marco Nanini, Matheus Nachtergaele, Andréa Beltrão, Drica Moraes e Zezé Polessa. Como Guel é um dos homenageados do festival, decidiu-se manter o filme fora da competição. Sua estreia nos cinemas está prevista para julho.

"Quincas Berro d’Água", adaptação da obra de Jorge Amado estrelada por Paulo José e Mariana Ximenes, encerra a mostra competitiva, também sem entrar na disputa. O filme estreia no dia 14 de maio.

Com isso, filmes menos notórios, que devem render bem menos na bilheteria que os dois longas citados, ganham a chance de se destacar na mídia e conquistar o interesse do público, se agradarem em Recife. O ótimo "As Melhores Coisas do Mundo", de Laís Bodanzky, já estreou no Sudeste, mas fará sua première na maior parte do Nordeste - o film estreou em Salvador no dia 16 - competindo no festival; o drama "O Homem Mau Dorme Bem" e o documentário "Sequestro" já foram exibidos em outros festivais.

Restam três filmes que devem atrair mais atenção pelo seu ineditismo. Jorge Durán volta com um drama familiar também encabeçado por um bom elenco, que inclui Cauã Reymond, Ângelo Antonio e Simone Spoladore. Figura que polariza opiniões como músico, Oswaldo Montenegro provocará os mesmos debates inflamados como diretor de cinema? Ele faz a sua prova de fogo como cineasta dirigindo seu primeiro longa, "Léo e Bia", inspirado em uma de suas músicas, com Paloma Duarte no elenco. E Evaldo Mocarzel, o documentarista mais prolífico do país, apresenta o inédito "Cinema de Guerrilha", que mostra a rotina de jovens da periferia de São Paulo que trabalham com cinema, exibindo seus filmes em mostras alternativas.

Entre os homenageados, além do pernambucano Guel Arraes, duas estrelas devem causar comoção no público pernambucano que frequenta o Cine São Luiz para ver as sessões: Tony Ramos e Julia Lemmertz.

Por: THIAGO STIVALETTI

veja também