MENU

Obras do Trecho Leste do Rodoanel não devem começar neste mês

Obras do Trecho Leste do Rodoanel não devem começar neste mês

Atualizado: Sábado, 5 Fevereiro de 2011 as 11:29

As obras do Trecho Leste do Rodoanel Mário Covas não devem começar neste mês. O contrato com o vencedor da licitação para a concessão dos Trechos Leste e Sul precisava ser assinado até a próxima segunda-feira, mas o consórcio SPMar, formado por duas empresas do Grupo Bertin (Contern e Cibe), não fez o depósito caução, de R$ 360 milhões, previsto para esta sexta. Com isso, o prazo foi prorrogado até 3 de março.

A previsão era que as obras começassem já neste mês. Essa era a expectativa, inclusive, do governador Geraldo Alckmin.

O leilão estabeleceu que o vencedor será responsável por administrar e explorar o pedágio do Trecho Sul. Em contrapartida, terá de construir a parte leste. O resultado foi anunciado em novembro e resultou em deságio de 63,3% no valor do pedágio, estipulado em R$ 2,19 no Trecho Sul. A proposta foi considerada ousada e levantou dúvidas sobre a capacidade do consórcio em honrar os compromissos, especialmente após o grupo ter mostrado dificuldade em apresentar garantias em concessões no setor elétrico.

O SPMar solicitou 30 dias a mais para realizar o depósito e, consequentemente, assinar o contrato. A prorrogação está prevista na concessão e foi aceita pela Agência de Transportes do Estado de São Paulo (Artesp). A legislação, no entanto, prevê a exigência de um "motivo justificado", que não foi divulgado pela Artesp. Em nota, a Secretaria dos Transportes diz apenas ter "plena certeza de que o grupo vencedor cumprirá as obrigações assumidas".

O Grupo Bertin afirma que a decisão de adiar o depósito e assinatura do contrato está dentro da legislação e faz parte da estratégia da companhia. "Se fosse obrigada a fazer o pagamento, faria", diz a empresa. Apesar da prorrogação, a companhia garante que o cronograma das obras não será prejudicado.

Trajeto

O novo trecho terá 43,5 km e vai começar na interligação com o Trecho Sul, na saída da Avenida Papa João 23, em Mauá, na região metropolitana. O término será na Rodovia Presidente Dutra, em Arujá.

A nova via passará por seis cidades: Ribeirão Pires, Mauá, Suzano, Poá, Itaquaquecetuba e Arujá. Estão previstos 14 pontes, 66 passagens inferiores, 18 passagens superiores, dez passagens de veículos e quatro túneis.

veja também