MENU

Operação em camelódromo no RJ vai continuar durante o fim de semana

Operação em camelódromo no RJ vai continuar durante o fim de semana

Atualizado: Sexta-feira, 28 Janeiro de 2011 as 1:20

A operação da Polícia Civil no Mercado Popular da Rua Uruguaiana , no Centro do Rio, vai continuar durante este fim de semana. Desde o início da ação, na última quarta-feira (26), sete caminhões já foram carregados com mercadorias piratas.

Nesta sexta-feira (28), os agentes chegaram à terceira quadra do camelódromo e encontraram um boxe com quatro mil pares de tênis falsificados. Um p osto avançado da polícia deve ser montado na semana que vem. O prefeito Eduardo Paes afirmou que é inaceitável que o mercado funcione há tanto tempo sem autorização.

“Vamos agir com total rigor. É inaceitável que você tenha aquilo ali há tanto tempo sem que a prefeitura tenha ou autorizado ou não autorizado. Portanto, a Secretaria de Ordem Pública agora vai, a partir desta importante operação feita pela polícia, autorizar ou não. E quem estiver envolvido com criminalidade ou delinquência vai ser imediatamente desautorizado pela prefeitura e retirado de qualquer possibilidade de trabalhar lá”, disse o prefeito.

Falta de segurança

Na quinta-feira, a prefeitura havia afirmado que não fiscalizava o camelódromo por falta de segurança: "A polícia tem uma forma de agir que o nosso fiscal da prefeitura não tem condições de agir ali, de fechar um boxe daquele", justificou o secretário de Ordem Pública, Alex Costa, acrescentando que a partir da operação policial, a prefeitura passará a fiscalizar o local.

Segundo Costa, nenhum box tem alvará de funcionamento ou paga impostos. Ele admitiu também que nunca pediu ajuda à polícia para realizar as vistorias. Na quinta, apenas oito dos mais de 1.500 boxes abriram as portas. A polícia investiga a denúncia de que alguns estabelecimentos pertenceriam a policiais.     Base fixa da polícia

Na quarta-feira (26), o chefe da Polícia Civil, Alan Turnowsky, confirmou que, assim que a operação terminar, uma base fixa da Polícia Civil será montada no local, para combater a venda de produtos falsificados e contrabandeados.

Segundo Turnowsky , o objetivo é fiscalizar, diariamente, a chegada e a venda de mercadorias piratas. A polícia também espera expandir o projeto para outros mercados populares, como o Mercado de Madureira.    

veja também