MENU

Operação no Camelódromo do Rio vai durar três dias, diz delegada

Operação no Camelódromo do Rio vai durar três dias, diz delegada

Atualizado: Quarta-feira, 26 Janeiro de 2011 as 11:36

A operação para combater a venda de produtos falsificados e contrabandeados no Mercado Popular da Uruguaiana (Camelódromo), no Centro do Rio, iniciada na manhã desta quarta-feira (26), vai durar pelo menos três dias, segundo a delegada Valéria de Aragão, da Delegacia de Repressão a Crimes Contra Propriedade Imaterial (DRCPIM). Além de 120 policiais civil, a ação conta ainda com 40 fiscais da Receita Federal e representantes das Associação Brasileira de Empresa de Software e Associação Antipirataria de Cinema e Música.

Até as 10h desta quarta-feira (26), segundo a delegada, somente os boxes de alimentação e de venda de ferramentas estavam funcionando. Os demais estavam fechados. Por isso, foi preciso chamar um chaveiro para abrir portas e vistoriar os recintos. A polícia vai permanecer no local para identificar os comerciantes que trabalham de forma ilegal, sem documentação ou notas fiscais das mercadorias. As irregularidades serão repassadas à prefeitura, que poderá cassar o alvará de funcionamento do estande.

Segundo a delegada, todos os 1.508 boxes vão ser fiscalizados. O Camelódromo é um dos maiores mercados populares do Rio e conhecido por vender produtos pirateados por preços bem mais baixos.    

veja também