Operação para combater milícias termina com impasse de números

Operação para combater milícias termina com impasse de números

Atualizado: Quarta-feira, 11 Novembro de 2009 as 12

A operação da Polícia Civil para desarticular grupos de milicianos na zona oeste do Rio de Janeiro termina com números divergentes. A Justiça expediu 46 mandados de prisão. Os policiais disseram que prenderam 18 pessoas e que outros 14 mandados foram cumpridos, mas que os suspeitos já estavam presos. Já o Ministério Público diz que 12 pessoas já estavam presas e outras oito foram detidas nesta terça.

Entre os presos está o cabo da Polícia Militar Ivo Matos da Costa Júnior, conhecido como Tomatinho, que seria um dos assassinos da quadrilha, e Rodolfo de Souza Queiroz, o Rodolfinho, apontado contador do bando.

A ação, que conta com a participação de 360 policiais e 88 delegados. Além das prisões, os policiais apreenderam um carro blindado, duas pistolas calibre 9mm, um revólver calibre 38, 65 munições, um colete com escudo da PM, fardas de várias corporações, 15 celulares, quatro computadores, documentos com anotações da milícia e R$ 500.

A quadrilha, conhecida como Liga da Justiça, tem apontados como líderes pelo Ministério Público o ex-deputado estadual Natalino José Guimarães, o ex-vereador Jerônimo Guimarães Filho (Jerominho), a ex-vereadora Carmen Glória Guinâncio Guimarães (Carminha Jerominho) e Luciano Guinâncio Guimarães, além do ex-policial militar Ricardo da Cruz Teixeira, conhecido como ''Batman''.

veja também