MENU

Operação policial contra tráfico tem 7 presos no Pavão-Pavãozinho

Operação policial contra tráfico tem 7 presos no Pavão-Pavãozinho

Atualizado: Sexta-feira, 14 Maio de 2010 as 12:12

Pelo menos sete pessoas foram presas nesta quinta-feira (13) durante uma operação policial no Morro Pavão-Pavãozinho, na Zona Sul do Rio, comunidade onde funciona uma Unidade de Polícia Pacificadora (UPP). Uma suposta defensora dos direitos humanos também foi presa na ação. Segundo os agentes, o trabalho dela era passar informações para traficantes.

De acordo com os agentes, Jonya Lúcia Trote Couto costumava ficar junto à polícia em operações na favela. Um mandado de prisão específico fora expedido contra Jonya, e a polícia procurava por ela. Mas pela manhã, Jonya foi detida na porta da delegacia, exatamente quando procurava saber do que se tratava a operação.

Ela buscava informações para passar aos traficantes, sustentam os investigadores. Jonya não informou se pertencia a alguma organização específica de defesa dos direitos humanos. Além dela, outras seis pessoas foram presas na operação. Todas são suspeitas de envolvimento com o tráfico de drogas na comunidade.

"Ela (Jonya) faz parte do tráfico de drogas aqui. Ela não só tomava conta de tudo o que acontecia como eu mesma falei, ela também usava isso para atrapalhar as investigações, tentar atrapalhar qualquer movimentação policial", disse a delegada Monique Vidal, da 13ª DP (Ipanema).

A polícia também prendeu Bárbara, irmã do traficante Azul, que comandaria o tráfico de drogas no Pavão-Pavãozinho e estaria escondido na Favela da Chatuba, na Penha. Havia um mandado de prisão contra ela, que também se apresentava como representante de organizações de defesa dos direitos humanos.

Bárbara é suspeita de esconder armas e drogas da quadrilha e depois enviá-las para a Chatuba, além de também ser acusada, assim como Jonya, de passar informações privilegiadas da polícia para traficantes

Operação contou com mais de cem policiais

A ação contou com mais de cem policiais. Um dos presos foi localizado no fim da tarde. A polícia ainda não divulgou o que eles apresentaram em suas defesas. A UPP do Pavão-Pavãozinho foi instalada há quase seis meses. Na época, houve resistência dos traficantes e duas pessoas morreram. Os criminosos chegaram a queimar um ônibus em Copacabana.

Os traficantes continuavam agindo mesmo com a UPP na comunidade. A venda de drogas estaria mais discreta e sem exibição de armas. Na operação desta quinta-feira não houve troca de tiros. Os agentes também prenderam Fabiano da Silva Pereira conhecido como Bicudo, suspeito de chefiar a quadrilha.

"O que ocorre com o trabalho de investigação, onde nós temos Unidades de Policia Pacificadora, é que a polícia pode com mais tranquilidade, com mais segurança, com mais eficiência e eficácia proceder as investigações e fazer as prisões", disse o secretário estadual de Segurança, José Mariano Beltrame.

veja também