MENU

Oposição classifica de "mentirosa" fala de Dilma para petistas

Oposição classifica de "mentirosa" fala de Dilma para petistas

Atualizado: Terça-feira, 23 Fevereiro de 2010 as 12

Líderes do PSDB e do DEM classificaram de "mentiroso" trecho do discurso da ministra Dilma Rousseff (Casa Civil) no lançamento de sua pré-candidatura a presidente, sábado, dia 20, em Brasília.

Ao defender uma participação forte do Estado na economia, ela deu a entender que o governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso só não privatizou Petrobras, Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal por que não conseguiu. 'Aqui, o desastre [econômico] só não foi maior, como em outros país, porque os brasileiros resistiram a esse desmonte', afirmou ela.

O líder do PSDB no Senado, Arthur Virgílio (AM), disse que em nenhum momento o governo FHC cogitou privatizar essas empresas.

"O que ela revela com isso é a cabeça de alguém que não teria privatizado a Telebrás se fosse presidenta, e nós ainda estaríamos colocando linha de telefone no IR", afirmou.

"Como boa aluna do mestre Lula, ela usa a mentira como arma essencial para a busca de popularidade. Ignorar os efeitos anteriores é desonestidade intelectual", disse o senador Álvaro Dias (PSDB-PR).

Para, o senador José Agripino (DEM-RN), Dilma confunde um Estado que promova o bem-estar social com o Estado empreendedor.

"O que ela está querendo é passar para a sociedade que o Estado forte é saída para o país fazer a distribuição de renda. Para isso, o Estado não precisa ser empregador", disse, em referência ao crescimento de cargos públicos criados pelo governo federal.

O presidente do DEM, deputado Rodrigo Maia (RJ), afirmou que o seu partido, desde 2004, reconhece a importância da atuação do Estado "na saúde, educação e segurança e na fiscalização e regulação da economia". "O que não acontece agora, em que o governo desmonta o papel das agências reguladoras", completou.

Outro ponto atacado pelos oposicionistas foi a troca de uma palavra no discurso da ministra. No texto original estava escrito "reconstituindo o Estado", mas ela disse "reaparelhando o Estado".

Para Arthur Virgílio, foi um ato falho, que revela a preocupação do PT em inchar ainda mais a máquina pública. "Eu tenho que agradecer esse alerta do seu subconsciente. Eu espero que ela nem reconstrua o Estado velho nem aparelhe mais do que [o governo Lula] está aparelhando. Se não vão ter que aparelhar até as crianças", afirmou o tucano.

O deputado Ronaldo Caiado (DEM-GO) também não poupou críticas ao discurso da petista. "A Dilma vai derrotar o lulismo no Brasil. O povo brasileiro não admite essa tese do Estado fiscalizante, intervencionista, autoritário. O presidente Lula, vendo que não tinha espaço para aplicar essas teses, absorveu o ideia do modelo de mercado", disse.

veja também