MENU

Oposição define estratégia para evitar que ataques a Serra fiquem sem respostas

Oposição define estratégia para evitar que ataques a Serra fiquem sem respostas

Atualizado: Quarta-feira, 14 Abril de 2010 as 12

Presidentes e líderes dos partidos de oposição definiram hoje as estratégias de comunicação da pré-campanha de José Serra (PSDB) ao Palácio do Planalto com o objetivo de não deixar ataques ao tucano sem respostas. A oposição prometeu unir os três partidos aliados - DEM, PSDB e PPS - para que fissuras que atingiram as legendas antes de definição do nome de Serra fiquem no passado.

Ao responder aos ataques dos governistas, a ideia é descolar a imagem da pré-candidata Dilma Rousseff (PT) do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. "A campanha vai cada vez mais demonstrar a separação entre os dois. Você não pode ter um candidato que seja mamulengo, marionete", disse o presidente do PPS, Roberto Freire.

Os três partidos de oposição se reuniram com o marqueteiro Luiz González, responsável pela campanha de Serra. Entre as estratégias, está a escolha de temas semanais a serem abordados conjuntamente pelos líderes que tenham impacto eleitoral na campanha tucana.

"Não adianta dar ênfase a matérias que não despertam o brasileiro para um posicionamento. Aos assuntos de campanha, teremos ênfase especial", disse o líder do DEM no Senado, José Agripino Maia (RN).

A avaliação entre os oposicionistas é que os três partidos conquistaram unidade não antes identificada na pré-campanha de Serra, por isso devem trabalhar conjuntamente sem disputas internas. Caberá aos líderes na Câmara e no Senado responder aos ataques a Serra, assim como também trazer à tona assuntos favoráveis ao candidato.

Viagens

Serra decidiu dar início à sua pré-campanha no Nordeste, para onde viaja amanhã. O primeiro destino do tucano será Salvador (BA), onde visita as obras sociais Irmã Dulce. Serra também vai visitar o Mercado Modelo, tradicional centro de compras da capital baiana. Na quinta-feira, o tucano segue para Maceió, onde participa de caminhada e de outros eventos políticos ao lado do governador Teotônio Vilela (PSDB), candidato à reeleição.

Por: Gabriela Guerreiro

veja também