MENU

Organizadora de rodeio considera morte de peão uma 'fatalidade'

Organizadora de rodeio considera morte de peão uma 'fatalidade'

Atualizado: Quinta-feira, 14 Abril de 2011 as 3:49

A empresa responsável pela organização de um rodeio em Bragança Paulista, no interior de São Paulo, informou por meio de uma nota, enviada nesta quinta-feira (14), que considera a morte do peão Gustavo Daniel Pedro, de 21 anos, uma “fatalidade”, inerente ao risco da montaria. Gustavo morreu nesta madrugada após ser pisoteado por um touro. Ele caiu do animal, foi atingido no peito e morreu.

Segundo a Sâmor Promoções Artísticas, todos os peões contam com um seguro contra a morte e invalidez. “Independente disso, a família [do peão morto] está sendo completamente assistida em todas as despesas relativas ao funeral”, informa o comunicado.

Gustavo ficou quase oito segundos em cima do touro de uma tonelada antes de ser derrubado, na noite desta quarta-feira (13). Ele foi levado para a Santa Casa de Bragança, onde morreu durante a madrugada desta quinta.     Segundo o amigo e também peão Wellinton Dallis, que participou do rodeio, a vítima usava todos os equipamentos de segurança necessários. O corpo, que já havia sido liberado do Instituto Médico-Legal (IML) às 14h desta quinta-feira, deverá ser velado e sepultado no Velório Municipal de Estiva Gerbi, cidade natal do peão. Gustavo Daniel Pedro era solteiro e não tinha filhos.

Segundo a assessoria da Prefeitura de Bragança Paulista, o peão era experiente e havia tomado todas as medidas de segurança. A administração municipal diz que uma homenagem deve ser prestada a ele na abertura da festa na noite desta quinta. O evento termina no domingo (17).

Outros acidentes

Em 2001, em Jaguariúna, o peão Neiliovan Tomazeli foi derrubado e atingido pelo touro. Ele foi arremessado pelo animal a uma altura de quatro metros, caiu de cabeça e quebrou a vértebra. Em 2003, na região de Ribeirão Preto, Magno Henrique Serrão, de 23 anos, morreu depois de cair do lombo de um touro e ser pisoteado pelo animal. Ele foi atingido no peito e na cabeça.

O caso mais recente foi em maio de 2010, quando o peão Agenor Carlos dos Santos, de 35 anos, morreu após ser derrubado por um touro e pisoteado em Hortolândia.Socorrido e levado para o Hospital Mário Covas, morreu devido à gravidade dos ferimentos.      

veja também