MENU

Pacientes enfrentam dificuldades de atendimento em hospital

Pacientes enfrentam dificuldades de atendimento em hospital

Atualizado: Quarta-feira, 17 Agosto de 2011 as 3:57

Idosos e pacientes doentes enfrentam filas grande para tentar marcar exames ou consultas no Hospital Ana Nery, no bairro da Caixa D’Água, em Salvador.

“Uma pessoa de 75 anos com problema cardíaco, ritimia e vista operada não consegue uma ficha. Desde maio que eu peço um retorno. Eu ganho um salário mínimo, estou passando fome”, relata dona Maria da Silva, que esperava na fila do hospital na manhã desta quarta-feira (17).

Uma grande fila começou a se formar desde a madrugada desta quarta-feira (17) na porta do Hospital Ana Nery. A aposentada Dinalva Barbosa, de 65 anos, tem deficiência física e saiu de Lauro de Freitas, na região metropolitana de Salvador, para ser atendida na unidade de saúde.     “Vim procurar um cardiologista porque tenho isquemia crônica no coração e um tumor no cérebro. Eu já estive ontem aqui e mandaram que eu voltasse hoje, mas eu não achei que fosse encontrar essa fila enorme”, relata dona Dinalva Barbosa.

Pacientes dizem que as dificuldades para marcação de consultas e exames no Hospital Ana Nery são antigas. “Cheguei aqui antes de 5h30 da manhã para marcar. Já dei cinco viagens e quando a gente liga para aqui, o telefone toca e ninguém pega.

Passa para determinado setor, mais setor, marca para outro lugar, ninguém atende, o telefone cai. Estou tentando marcar um urologista e cardiologista. Estou com exame já, e perdi de fazer duas vezes. Quando venho, dizem que não está marcando mais e aí tenho que fazer outro exame. É uma verdadeira bagunça”, reclama o eletricista de automóvel Everaldo santos.

Nem todas as pessoas que conseguiram senha nesta quarta-feira foram atendidas. “Peguei o número 37, às 4h da manhã, e disseram que não marca esse exame, que tenho que marcar no posto”, conta a pensionista Helena Nascimento.

O eletricista Virgílio Xavier disse que foi marcar um exame chamado mapa, mas foi informado que os aparelhos usados para realização do procedimento estão quebrados. “Disseram que está tudo quebrado e que um aparelho está funcionando precariamente e que não tem perspectiva nenhuma de quando pode fazer esses exames”, relata.

Por volta das 8h, o supervisor da vigilância do Hospital Ana Nery, Francisco Soares, foi conversar com os pacientes que aguardavam na fila e informou que a consulta foi aberta nesta quarta-feira. “É para vocês voltarem amanhã”, disse a quem estava na fila. Segundo Soares, foram distribuídas 500 senhas desde as 6h para todas as especialidades e as consultas serão marcadas a partir do dia 15 de outubro.

“As pessoas que ficaram na fila indevidamente ou por algum problema cardiovascular vão ser atendidas durante os próximos meses. Esse é um momento de transição do sistema e problemas poderão acontecer. A gente pede a compreensão para essa mudança, que é muito importante”, explica Roque Aras, diretor do hospital.            

veja também