MENU

Pacientes reclamam da falta de medicamentos de alto custo em SP

Pacientes reclamam da falta de medicamentos de alto custo em SP

Atualizado: Quinta-feira, 15 Setembro de 2011 as 1:23

A falta de medicamentos do programa Alto Custo é uma das reclamações constantes feitas no Ministério Público do Estado de São Paulo. Diariamente, o órgão recebe várias representações sobre a escassez nos postos que distribuem os remédios. Esse problema preocupa a dona de casa Loid de Almeida Pedroso. O filho dela, Diego, sofre de epilepsia e recebe, de graça, o coquetel de remédios na farmácia do Hospital das Clínicas. No mês passado, um medicamento da lista não veio. Ela comprou em uma farmácia particular e gastou R$ 75. Neste mês, foi a Lamotrigina que faltou. “Ele pode morrer se ficar sem o remédio”, conta ela.

A cartela do remédio está acabando. Diego toma dois comprimidos de oito em oito horas. Uma caixa custa R$ 180 e a família não pode arcar com as despesas. O medicamento é essencial para tratar a doença.

Por telefone, a dona de casa não conseguiu resolver o problema. Loid resolveu, então, ir até o hospital nesta quarta-feira (14) pela manhã. O remédio continuava em falta. Segundo uma funcionária, a dona de casa deve esperar, pois o governo ainda não fez a entrega.

O medicamento estava disponível na manhã desta quinta-feira (15), após contato da reportagem do SPTV com a Secretaria Estadual da Saúde. Diego tem 60 comprimidos para seis dias de tratamento. “Disseram que no dia 7 de outubro chega o restante”, diz Loid.

A secretaria afirma também que houve aumento inesperado do consumo de Lamotrigina na farmácia de alto custo do Hospital das Clínicas. O órgão vem tentando remanejar o remédio de outras unidades e já providenciou uma nova compra do medicamento.

Há cinco anos, o Ministério Público Estadual ganhou uma ação na Justiça contra o estado exigindo o planejamento adequado para que não falte o remédio. Agora, o MP vai pedir instauração de inquérito policial por desobediência a essa sentença.

Quem precisa de remédios controlados e não os encontra na rede pública pode registrar a reclamação na Promotoria de Direitos Humanos da área da saúde. Basta mandar um e-mail ou ir pessoalmente até a Rua Riachuelo, 115 (1º andar), de segunda a sexta, das 9h às 19h.

A Ouvidoria Geral do Sistema Único de Saúde (SUS) também recebe reclamações. O SUS distribui gratuitamente cerca de 900 tipos de medicamentos. O programa Alto Custo atende aproximadamente 500 mil pacientes em todo o estado de São Paulo.

As sugestões, dúvidas, denúncias, elogios e reclamações também podem ser enviadas para o Ministério da Saúde (Esplanada dos Ministérios, Bloco G, Brasilia-DF, CEP 70058-900) ou registradas pela internet .              

veja também