MENU

Pai de criança morta por jet ski não tinha habilitação

Pai de criança morta por jet ski não tinha habilitação

Atualizado: Segunda-feira, 27 Fevereiro de 2012 as 8:22

O pai do menino de 9 anos que morreu após um acidente com um jet ski em um clube náutico de Ribeirão Pires, no ABC, neste domingo (26), pagou fiança de R$ 630 e deixou a delegacia da cidade após cerca de seis horas, já na madrugada desta segunda-feira (27). Segundo a polícia, ele será indiciado por homicídio culposo, quando não há a intenção de matar. A criança estava em um bote que era arrastado por um jet ski pilotado pelo pai. O bote bateu em uma pilastra de uma ponte.

Segundo testemunhas, o jet ski seguia em diagonal pela represa. Quando passou por debaixo da ponte, o bote bateu na pilastra. O garoto estava com um primo de 14 anos na boia – o jovem não ficou ferido.

Segundo a Polícia Militar, o pai do garoto disse que uma onda provocada por um outro jet ski descontrolou o bote. De acordo com a polícia, ele não tinha habilitação exigida para pilotar o equipamento. Ele passou por um exame toxicológico, que não apontou a ingestão de nenhuma substância.

O corpo do menino foi levado para o Instituto Médico-Legal (IML) de Santo André, e deve ser liberado na manhã desta segunda-feira (27).

Outro caso

No último sábado (18), a menina Grazielly Almeida Lames, de 3 anos, morreu em Bertioga, no Litoral Norte de São Paulo, após ser atingida por um jet ski que foi acionado por um adolescente.

Testemunhas dizem ter visto quando dois adolescentes subiram no jet ski e aceleraram. Segundo elas, o veículo empinou, os garotos caíram na água e o equipamento seguiu até a areia, acertando a menina.

veja também