MENU

Pai de Eliza Samudio pede em programa de TV mudança na lei para crimes hediondos

Pai de Eliza Samudio pede em programa de TV mudança na lei para crimes hediondos

Atualizado: Terça-feira, 13 Julho de 2010 as 10:52

O empresário Luís Carlos Samudio disse na noite desta segunda-feira (12) no programa Superpop, da RedeTV!, que a filha Eliza Samudio, 25, morreu porque era uma pessoa corajosa e a prova disso foi que ela peitava o assassino publicamente para defender os direitos do filho.

Durante todo o programa, o empresário evitou falar o nome do goleiro Bruno, do Flamengo, um dos suspeitos pelo desaparecimento da ex-amante.

O único momento que Samudio citou o nome de Bruno foi quando disse à apresentadora Luciana Gimenez que está convencido que o neto é filho do goleiro, porque não duvidava da palavra da filha. Em seguida, Samudio ironizou para afirmar que o neto se parece com o pai e usou uma frase que atribui a Bruno:É a cara do pai, vai ser um garanhão.

Samudio reafirmou o desejo de fazer justiça pela morte de Eliza. Ele disse que vai usar a história da filha assassinada como símbolo de uma luta para mobilizar a população e autoridades para a realização de um plebiscito nacional para mudar a lei para crimes hediondos. Na lei atual, apesar de muitas vezes a pena ser elevada, o condenado pode cumprir 30 anos de prisão, no máximo.

 Precisamos de prisão perpétua para crimes hediondos para que a minha filha e a de mais ninguém seja morta de forma tão atroz, terrível e covarde, disse Samudio.

Durante o programa, Samudio não foi questionado pela apresentadora e convidados sobre o processo judicial pelo qual responde por estupro, no Paraná.  

veja também