MENU

Pai de gêmeas siamesas diz que cirurgia é descartada

Pai de gêmeas siamesas diz que cirurgia é descartada

Atualizado: Quarta-feira, 15 Junho de 2011 as 12

Renato Bragança diz que já tinha comprado enxoval

para um menino (Foto: Divulgação)     Duas meninas que nasceram na quinta-feira (9) unidas pelo abdômen recebem atenção especial de médicos e de familiares em uma maternidade de Belo Horizonte, capital de Minas Gerais. Na véspera delas completarem uma semana de vida, o pai das gêmeas siamesas disse ao G1 que os médicos já descartaram a cirurgia para separação das filhas. “Os médicos falaram que (elas) só têm um coração. Não vai ter como separar”, afirmou.

As gêmeas nasceram em um hospital em Timóteo, na região do Vale do Rio Doce. Após dois dias na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI), elas foram transferidas para a Santa Casa de Misericórdia em Belo Horizonte.

A reportagem entrou em contato com o Hospital e Maternidade Vital Brazil São Camilo, onde as meninas nasceram. A instituição não deu detalhes do caso, mas confirmou que as meninas estão unidas pelo abdômen. A Santa Casa divulgou boletim nesta quarta-feira (14) no qual confirma que elas sofrem de uma "cardiopatia congênita complexa", mas não confirmou se a cirurgia de separação foi descartada.

O pai disse que não esperava por gêmeas. Segundo ele, a mãe das crianças não fez nenhum ultrasom durante a gestação. “Eu já tinha comprado o enxoval para receber um menino. Foi um choque quando aconteceu”, disse. A mãe das crianças, de 17 anos, está em Coronel Fabriciano, também na Região do Vale do Rio Doce, se recuperando da cesariana.     Raixo X mostra a condição geral dos órgãos

(Foto: Divulgação)

    Estáveis

O boletim médico divulgado pela Santa Casa  diz que as gêmeas estão estáveis, respirando espontaneamente e recebendo dieta por sonda. Ainda segundo o boletim, as duas são portadoras de uma "cardiopatia congênita complexa". A assessoria do hospital não informou por quais órgãos os bebês estão interligados e disse que exames estão sendo feitos.

As gêmeas, segundo hospital, tem uma malformação congênita que acontece quando mais de um feto do mesmo sexo compartilha um único óvulo que, no momento da divisão celular, sofre alterações que podem resultar na unificação de membros ou órgãos dos recém-nascidos.          

veja também