MENU

Pais devem "bisbilhotar" vida dos filhos se for preciso, dizem especialistas

Pais devem "bisbilhotar" vida dos filhos se for preciso, dizem especialistas

Atualizado: Terça-feira, 20 Outubro de 2009 as 12

Nos últimos dias, adolescentes foram destaque no noticiário após fugirem de casa. Para especialistas ouvidos pelo G1, muitas vezes os pais podem evitar que casos como os registrados ocorram. Para isso, eles não descartam que os adultos "bisbilhotem" a vida dos filhos quando acharem necessário.

Um casal de namorados, ele de 16 anos e ela de 17, saiu de casa na capital paulista para ir ao cinema na noite de sábado, dia 17, e não voltou mais para casa. Os pais chegaram a acionar a polícia e os dois foram localizados na segunda-feira, 19 de outubro, no litoral de São Paulo. Eles afirmaram que queriam viver uma "aventura de amor".

Outra jovem, de 18 anos, saiu de casa em Belo Horizonte (MG) na semana passada e sumiu. Foi encontrada em uma boate de São Paulo na madrugada de domingo, dia 18. Ela alegou que fugiu de casa após brigar com familiares.

Para a psiquiatra Ivete Gattás, da área de Infância e Adolescência da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), os pais devem desde cedo ter relacionamento de diálogo e respeito com os filhos para evitar problemas.

"A adolescência já é um período difícil, onde o jovem acha que tem condições de enfrentar quaisquer situações sozinho. Age por impulso, se coloca em situações de risco e depois não tem como arcar com as consequências. Mas se há uma relacão de autoridade, respeito, fica mais fácil."

Ivete Gattás afirma que, em geral, os pais devem respeitar a liberdade e a privacidade do filho, mas sempre acompanhando todas as situações. "Os pais devem abordar os filhos, conversar. Se diminuir as dúvidas e ficar tranquilo, tudo bem. Mas vamos imaginar que continue preocupado, que no contato com o adolescente, as coisas não fiquem claras. Se achar que o filho corre risco, tem sim o direito de bisbilhotar."

Mas ela avalia que não se deve bisbilhotar preventivamente. "Aí já é uma invasão. O filho tem direito de ter privacidade."

Ela afirma que lidar com o adolescente é uma relação de negociação constante. "Precisa saber negociar o tempo todo. Se for com autoridade despótica,ou se achando o sabedor de todas as coisas, não vai ter a confiança do adolescente.

O psiquiatra Içami Tiba, autor do livro "Adolescentes - Quem Ama, Educa" e do livro "Família de Alta Performance" muitas ações inesperadas de adolescentes ocorrem porque os pais não educam adequadamente. "Quando o filho tem condições de avaliar as consequências e faz tudo arcando com as consequências é sinal de boa educação. Não precisa pedir para estudar, deixa o quarto em ordem, cuida da saúde. Mostra que é responsável e se preocupa com os pais, dá satisfação aos pais."

Ele afirma que para manter a relação de respeito, o pai deve punir o filho que agir de forma inadequada. "O filho tem que prestar contas, dizer onde vai porque senão o pai vai estar financiando a má educação."

Ao contrário da psiquiatra Ivete, Içami Tiba avalia que bisbilhotar não faz mal em situação nenhuma, e que, muitas vezes, pode ajudar a salvar o filho de uma situação pior. "Quando o filho anda bem, bisbilhotar não faz mal. Quando mostra que tem algo a esconder, tranca o quarto, coloca senha no computador, algo pode estar errado. Algumas vezes é dever dos pais bisbilhotar."

veja também