MENU

Papelarias apostam em crescimento

Papelarias apostam em crescimento

Atualizado: Terça-feira, 2 Fevereiro de 2010 as 12

Mesmo com o reajuste médio de 5% nos preços dos materiais escolares este ano, as papelarias da Grande Cuiabá prevêem incremento de até 10% nas vendas em relação a 2009. Este ano, o comércio aposta nos lançamentos para atrair mais clientes às lojas e ampliar as vendas na temporada da volta às aulas.

Nas papelarias, as vendas estão a todo vapor e os consumidores encontram diversas novidades e lançamentos. “São mochilas, cadernos, fichários e uma infinidade de artigos com diferentes versões. Acho que as novidades irão puxar as vendas de materiais este ano”, diz a empresária Iara Nunes, da Dunorte.

Apesar de a concorrência no segmento de materiais escolares ter aumentado nos últimos anos, o movimento na loja teve impulso esta semana, reta final para o início das aulas. “Algumas escolas já iniciaram o período escolar, enquanto outras do ensino privado começam na próxima semana e as demais até o próximo dia oito de fevereiro. Estamos otimistas e apostamos em incremento de até 10% nas vendas este ano”.

Para cumprir essa meta, a Dunorte está oferecendo descontos de até 10% nos pagamentos à vista. A loja vende também em três vezes, sem juros, pelo cartão ou cheque.

Ela informou que inúmeros lançamentos podem ser encontrados na loja, como as mochilas da Barbie, Hot Wil e Homem Aranha, lápis de cor (Faber Castel), lancheiras, estojos e uma grande variedade de cadernos para os ensinos fundamental, médio e universitário.

Na Papelaria Coxipó, as vendas também estão a todo vapor e a expectativa é de que o crescimento chegue a 10% este ano. Para atrair os clientes e garantir negócios, a loja está oferecendo facilidades nos pagamentos. “Vendemos em até cinco vezes no cartão. Nas compras à vista oferecemos descontos que podem chegar a 15%”, afirma a proprietária da loja, Marilene Guimarães.

Faltando duas semanas para o início das aulas do filho, a dona Maria Aparecida Neves esteve em uma papelaria de Cuiabá e resolveu adquirir a lista completa. “Comprando tudo em um lugar fica mais fácil, pois perdemos menos tempo e conseguimos um desconto melhor”, conta.

Mesmo assim, ela reclama dos preços dos materiais escolares, que sofreram acréscimo este ano. “Os lançamentos estão com preços altos, bem acima da média”, avalia.

IMPOSTOS – Parte deste aumento pode ter sido motivado pela tributação dos materiais escolares. De acordo com estudo do Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT), a tributação deste segmento continua alta, visto que os impostos de uma caneta chegam a 47,49% de seu valor total, na borracha 43,19% e, em um tubo de cola, 42,71%. Outros produtos presentes na lista de material escolar solicitada pelas escolas, também registram significativa porcentagem de impostos: caderno universitário e lápis, 34,99%; régua, 44,65%; papel sulfite, 37,77%; agenda, 43,19%; e mochila, 39,62%.

Segundo o diretor técnico do IBPT, João Elói Olenike, os percentuais dos tributos incidentes sobre o material escolar poderiam ser mais baixos, já que se trata de produtos indispensáveis à educação de crianças e adolescentes.

Apesar das altas taxas de impostos cobrados existe a expectativa de que em 2010 ocorra a desoneração de alguns produtos da cesta básica, como lápis, borrachas, mochilas e cadernos, por meio da isenção de Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI). A desoneração, entretanto, deverá ocorrer a partir do segundo semestre deste ano.

veja também