MENU

Para Dilma, primeiro cenário é ficar com Luiz Sérgio, afirma Temer

Para Dilma, primeiro cenário é ficar com Luiz Sérgio, afirma Temer

Atualizado: Sexta-feira, 10 Junho de 2011 as 1:45

Depois de conversar com a presidente Dilma Rousseff na noite desta quinta-feira (9) sobre o impasse na articulação política do Planalto com o Congresso, o vice-presidente da República, Michel Temer, afirmou nesta sexta (10) que a permanência do ministro Luiz Sérgio na Secretaria de Relações Institucionais é o primeiro cenário considerado pela presidente. Ao G1, Temer disse que dependerá “muito” do próprio ministro a decisão de Dilma em mantê-lo no cargo.

“No presente momento, o primeiro cenário que ela [Dilma] prevê é a permanência do Luiz Sérgio. Agora, isso vai depender muito do Luiz Sérgio, porque tem notícias correndo por aí que ele está insatisfeito, que ele pode eventualmente pedir para sair. Então, o primeiro cenário é a permanência dele. Se esse cenário não se mantiver, aí, sim, é que ela vai cogitar nomes”, disse Temer.

Desde o início da semana, PMDB e PT realizam reuniões para discutir possíveis mudanças na articulação política do governo.

Dilma chamou Temer para uma conversa no Palácio da Alvorada na noite desta quinta (9), logo após retornar da viagem oficial que fez a Santa Catarina. Ciente das informações que corriam na imprensa sobre a eventual demissão de Luiz Sérgio, a presidente chamou Temer para “examinar o quadro” da situação política em torno da articulação, mas a saída do ministro não era uma questão consumada.

O nome da ministra da Pesca, a catarinense Ideli Salvatti (PT-SC), e do líder do governo na Câmara, Cândido Vaccarezza (PT-SP), chegaram a ser analisados por Dilma e Temer em um eventual cenário de troca de comando na pasta. As qualidades e deficiências de ambos – Vaccarezza tem pouco trânsito no Senado; Ideli, na Câmara – foram analisadas, mas não houve uma definição por um dos dois.

“Conversei com a presidente sobre a articulação política. Ela está examinando o quadro, não significa que ela vai demitir o Luiz Sérgio. Só se examinou o quadro”, disse Temer.

Na quinta, Luiz Sérgio disse que o momento era de “silêncio”ao ser questionado sobre a permanência no cargo após reclamações de parlamentares do PT e da base aliada em relação a sua atuação na articulação política. Horas depois, ele negou ter pedido demissão do cargo.

A avaliação de parlamentares do PMDB no Congresso é que Luiz Sérgio precisará mudar de postura, se for mantido no cargo. A avaliação é de que o articulador político do governo tem que ter autonomia para entrar sem bater no gabinete da presidente Dilma, tem que ter iniciativa de quem é o articulador direto da presidente, tem que ter acesso a presidente, tem que ser ouvido, tem que circular muito pelo Congresso, posturas que até agora Luiz Sérgio não teria demonstrado.

'Fritar' o ministro

Após evento em que participaram Temer e Dilma na manhã desta sexta, o líder do governo Cândido Vaccarezza disse que os parlamentares petistas não tentaram “fritar” o ministro Luiz Sérgio. “Isso é uma injustiça com o PT. O PT não fritou nenhum ministro. O PT não tomou nenhuma iniciativa para discutir ministério”, garantiu.          

veja também