MENU

Para líderes, corte no Orçamento pode afetar votação do mínimo

Para líderes, corte no Orçamento pode afetar votação do mínimo

Atualizado: Quinta-feira, 10 Fevereiro de 2011 as 11:18

Líderes da base governista e da oposição avaliam que o corte de R$ 50 bilhões no Orçamento pode atrapalhar o governo na votação do salário mínimo no Congresso.

Deputados reclamam principalmente do bloqueio previsto de R$ 18 bilhões, de um total de R$ 21 bilhões, das emendas apresentadas.

O congelamento das emendas não foi anunciado oficialmente ontem pelo governo, mas é tido como certo pelos principais líderes.

"Vamos ter que trabalhar para ver como os investimentos vão chegar aos municípios. É claro que afeta no mínimo, pois o Parlamento fica insatisfeito", disse o líder do PR, Lincoln Portela (MG).

Ao mesmo tempo da coletiva do ministro Guido Mantega (Fazenda) sobre os cortes, Jovair Arantes (GO), líder do PTB, se reuniu com o líder do governo na Câmara, Cândido Vaccarezza (PT-SP).

"Fará um estrago grande na bancada. Queremos achar com o líder uma forma para reverter isso", disse Arantes.

No Senado, a oposição disse que o governo usará o corte para barganhar apoio no Congresso. "Fica uma ameaça de que os cortes podem ser maiores, se houver dissidências", disse o líder do PSDB no Senado, Alvaro Dias (PR). Aécio Neves (PSDB-MG) afirmou ser esse "um péssimo presságio sobre o governo".

A decisão de represar mais de 80% das emendas foi de Dilma numa reunião tensa na noite de anteontem com ministros e Vaccarezza.

Dilma ainda não definiu se irá liberar o aumento no Fundo Partidário aprovado no final de 2010. Caso seja liberado, o fundo representará um gasto extra de R$ 100 milhões.

veja também