Para Marina, resultado obtido nas pesquisas é 'fantástico'

Para Marina, resultado obtido nas pesquisas é 'fantástico'

Atualizado: Quarta-feira, 25 Agosto de 2010 as 3:02

A candidata do PV à Presidência da República, Marina Silva, disse nesta quarta-feira (25), em entrevista à rádio Gaúcha, considerar “fantástico” seu desempenho na campanha eleitoral. Segundo as últimas pesquisas de intenção de voto, Marina tem 8% dos votos e ocupa a terceira colocação na corrida presidencial, atrás dos candidatos Dilma Rousseff (PT) e José Serra (PSDB). “Essa estabilização nas pesquisas é uma coisa fabulosa. Com a pouca estrutura que eu tenho, com o pouco tempo de televisão, ter em torno de 10%, 8%, isso para mim é fantástico. Quando eu ando nas ruas eu sinto um acolhimento muito grande. Nós ainda temos 40 dias pela frente. Eu não tenho dúvida que o potencial de crescimento é enorme”, disse Marina.

Marina disse ser uma nova alternativa e que não representa a “velha visão de que, ou está tudo ruim e vamos jogar tudo na lata do lixo, ou está tudo perfeito e vamos continuar".  Segundo ela, "o presidente Lula não precisa de um opositor ou de um continuador, ele precisa de um sucessor”.

Durante a entrevista, Marina defendeu a decisão do governo de limitar a compra de terras por empresas controladas por capital estrangeiro . “Não podemos comprometer nossos interesses e nossa soberania. Qualquer país tem uma política de proteção ao seu território. Somos uma economia aberta e não tem problema de fazer negócios e estimular o capital estrangeiro para o investimento correto de acordo com as regras do Brasil”.

Segundo ela, Europa, Estados Unidos e Japão dão tratamento semelhante ao investimento estrangeiro na compra de terras. “Isso não pode ser diferente em relação a nós”, afirmou. “É fundamental que se tenha um olhar cuidadoso. O litoral brasileiro está sendo privatizado, principalmente por investidores de Portugal e Espanha que se apropriam de nossas praias”, completou.

Impostos

A respeito da implementação de um novo imposto semelhante à Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF) para financiar o sistema de saúde, Marina disse ser contra. “Nós já temos uma carga tributária muito forte, muito pesada. A nação brasileira já não aguenta mais pagar tanto tributo. E no caso, a CPMF acabou desgastada por desvio de finalidade”.

“Eu mesmo votei a favor da CPMF, mesmo contra decisão do meu partido à época, o PT, por entender que era necessário. Só que o dinheiro começou a ser utilizado para outras finalidades. Não dá para ficar falando em criação de tributos”, disse a candidata do PV.

Marina defendeu a regulamentação da emenda 29, que destina mais recursos para a Saúde. “A emenda foi aprovada e aguarda regulamentação. O que precisa hoje é a regulamentação. Infelizmente, o governo que tem oito anos e não regulamentou”. Ela defendeu ainda o programa Saúde da Família como forma de melhorar o atendimento à população.

Postado por: Thatiane de Souza

veja também