MENU

Paralisação faz passageiro aguardar ônibus por mais de uma hora em SP

Passageiro aguarda ônibus por mais de 1h

Atualizado: Terça-feira, 31 Janeiro de 2012 as 7:59

Passageiros que tentavam usar o transporte coletivo para ir ao trabalho na manhã desta terça-feira (31) em São Paulo chegaram a ficar mais de um hora em pontos de ônibus sem que nenhum veículo passasse, devido à paralisação de motoristas e cobradores entre 3h30 e 6h. Por volta das 7h, muitos veículos já haviam saído para as ruas, mas os reflexos permaneciam – pontos e veículos lotados, além de muitos trabalhadores atrasados. A paralisação ocorre em protesto às multas aplicadas pela SPTrans e pela Prefeitura.

O operador de supermercado Adelson Alves, de 25 anos, esperava pouco depois das 6h no ponto que fica no cruzamento das Avenidas Santo Amaro e Jornalista Roberto Marinho, na Zona Sul, por um ônibus que o levasse ao trabalho no Itaim Bibi, também na Zona Sul. Quando conversou com a reportagem do G1, já estava há meia hora no ponto, sem que nenhum veículo passasse. “Normalmente em menos de cinco minutos eu pego [um ônibus]. Cheguei aqui e o ponto já estava cheio. Tinha que chegar no trabalho às 6h, mas já passou. Liguei avisando, eles têm que entender”, afirmou.
No mesmo ponto, também no início da manhã, a cozinheira Marta Santos aguardava um veículo há mais de uma hora. “Até aqui eu consegui vir, mas agora não está passando nenhum ônibus. Não sabia dessa greve.”

Pouco depois de falar com os dois, a reportagem do G1 viu os primeiros veículos circulando no corredor de ônibus da Avenida Santo Amaro, sentido Centro. Entretanto, os veículos já passavam lotados. Na mesma avenida, alguns pontos estavam vazios no início da manhã – passageiros desistiram da viagem ou seguiram para outros pontos com os micro-ônibus ou os veículos da EMTU, que circularam normalmente desde a madrugada.

No Terminal Santo Amaro, também na Zona Sul, pontos completamente cheios faziam com que os ônibus que voltaram a circular ficassem longos minutos parados embarcando passageiros. Muitas pessoas passaram a mudar seus planos para tentar diminuir o atraso. “Vou tentar mudar meu trajeto, pegar um ônibus que vá até o Metrô. Porque eles estão circulando, mas está tudo cheio. Até eu esperar o meu, vai demorar”, afirmou o vendedor Carlos Sampaio.

Outras pessoas que chegavam ao terminal por volta das 7h tinham esperança de que teriam menos problemas. “Vi que teve a paralisação antes de sair de casa, mas resolvi arriscar de qualquer maneira, não teve jeito. Mas estou vendo que os ônibus estão passando. Tomara que eu não atrase muito, mas sei que o aperto vai ser maior hoje”, afirmou a doméstica Carla Santos.

Multas

A expectativa é que os 44 mil motoristas e cobradores tenham parado nas 32 garagens de ônibus. Segundo o Sindicato dos Motoristas de São Paulo, são mais de 400 multas por dia, com valores que acabam sendo descontados dos salários dos funcionários. A SPTrans informa que aplica as multas unicamente nas empresas, sendo estas as responsáveis por repassá-las aos funcionários.

Em nota divulgada durante a madrugada, a SPTrans afirma que "adotou medidas emergenciais de atendimento, visando minimizar os transtornos aos usuários, nas quais os midiônibus que operam no sistema de permissão, onde houver possibilidade, terão seus itinerários estendidos até as estações de Metrô e trens; bem como orientará as pessoas nos terminais a deslocarem-se por meios próprios até um corredor que possibilite embarcar em ônibus da EMTU, ou dos permissionários, ou do transporte por metrô ou trem; ou até mesmo que evitem chegar aos terminais, desembarcando nos itinerários onde possam encontrar alternativas para os seus deslocamentos".

Diariamente, 6,1 milhões de usuários utilizam o sistema municipal de transporte público, de acordo com a companhia.
Os sindicalistas afirmam que fracassaram as negociações realizadas com a SPTrans nesta segunda. Eles pedem que os motoristas estejam sujeitos apenas às multas previstas no Código Brasileiro de Trânsito e protestam contra o regulamento municipal chamado Resam (Regulamento de Sanções e Multas).

veja também