MENU

Paralisação pode deixar 25 mil alunos sem aula em Várzea Grande

Paralisação pode deixar 25 mil alunos sem aula em Várzea Grande

Atualizado: Sexta-feira, 13 Maio de 2011 as 1:56

Vinte e cinco mil alunos da rede pública de Várzea Grande, região metropolitana de Cuiabá, podem ficar sem aulas devido à greve dos professores marcada para o dia 16 de maio. A informação foi confirmada ao G1, pela presidente do Sindicato dos Professores de Várzea Grande, Maria Aparecida Cortez.

Nesta quarta-feira, o Sindicato acompanhou a paralisação nacional da categoria, que reivindica o cumprimento da Lei 11.738, de julho de 2008, que regulamenta o piso salarial profissional nacional para os profissionais do magistério público da educação básica. De acordo com a lei, o piso salarial profissional nacional para os profissionais do magistério público da educação básica será de R$ 950 para a formação em nível médio.

Maria Aparecida explica que a categoria está negociando desde setembro do ano passado com a Prefeitura, mas “não há proposta municipal”. Atualmente os professores de nível médio das escolas estaduais recebem R$ 1.132, enquanto os da rede municipal ganham R$ 653, cumprindo a mesma jornada.

O Plano de Cargos e Salários do município também está sendo criticado pelo Sindicato dos Professores. “Noventa por cento dos professores têm redução nos salários porque o Plano foi mal elaborado”, reclama a presidente do sindicato.

Segundo estimativa do Sindicato dos Professores de Várzea Grande, existem cerca de 1.100 docentes trabalhando no município. Maria Aparecida disse que os dados oficiais são muito confusos, “uma vez que a Prefeitura teria demitido os funcionários fantasmas. Infelizmente não temos acesso a estas informações”.

A presidente do Sindicato dos Professores de Várzea Grande denuncia também a precariedade dos prédios públicos, que precisam com urgência de reforma. São pelo menos sete unidades estaduais e 65 municipais, entre creches e escolas dos distritos. Ao todo, existem 45 colégios estaduais e 72 municipais em Várzea Grande. O número de alunos é de 25 mil nas escolas municipais e 43 mil nas estaduais.

Irregularidades na distribuição da merenda escolar também foram apontadas pelo Sindicato dos Professores. "Está havendo distribuição irregular, e os produtos são de péssima qualidade", alerta. Maria Aparecida Cortez relata que o problema ocorre há pelo menos cinco anos.

A lei garante que alunos das creches devem receber pelo menos cinco refeições por dia, “mas não é o que acontece”, denuncia. “Apenas as creches que recebem doações conseguem cumprir o número de refeições regulamentado por lei.

Por telefone, a Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Várzea Grande informou que a Secretaria de Educação está finalizando o Plano de Cargos e Salários do município, que deve ficar pronto até o próximo dia 20. Disse ainda que o secretário Willian Caetano, vai aguardar a mobilização dos professores para ouvir as reivindicações da categoria. Uma comissão deve ser nomeada para discutir o assunto.      

veja também