MENU

Parceria permitirá construção de 4 piscinões em Franco da Rocha, SP

Parceria permitirá construção de 4 piscinões em Franco da Rocha, SP

Atualizado: Quinta-feira, 27 Outubro de 2011 as 12:10

Ministro da Integração Nacional (em pé) participou

de assinatura de convênio com governo federal

(Foto: Letícia Macedo / G1) Uma parceria entre o governo de São Paulo e do governo federal permitirá a construção de quatro piscinões em Franco da Rocha, na Grande São Paulo. O governador Geraldo Alckmin e o ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra Coelho, assinaram o convênio na manhã desta quinta-feira (27), no Palácio dos Bandeirantes, no Morumbi, Zona Sul da capital.

Franco da Rocha, que foi severamente atingida pelas chuvas no início deste ano, terá um piscinão no Córrego Tapera Grande e no Ribeirão Água Vermelha. O Ribeirão Euzébio ganhará outros dois. A obra permitirá acumular 723,1 milhões de litros de água das chuvas e deve contribuir para minimizar o risco de enchentes de maneira especial na zona urbana e central do município.   Os editais de licitação serão divulgados na primeira semana de novembro e a obra deve demorar cerca de 18 meses.

Os estudos de macrodrenagem indicaram ainda a necessidade de construção de polders, uma espécie de muro para conter o transbordamento dos rios, para proteger a cidade. De acordo com Alckmin essas obras já estão sendo executadas pelo Departamento de Águas e Energia Elétrica (DAEE). A construção dos piscinões e dos polders terão licitações separadas.

“A rigor, nós temos um problema que não é específico de lá, de uma ocupação urbana de um local inadequado. Você tem uma região muito baixa, um rio de serra passando no meio da cidade. Há duas pistas de cada lado e a estação de trem próxima. Nós estamos fazendo uma mitigação do problema da ocupação urbana”, afirmou o governador.

O investimento será de R$ 51,2 milhões, sendo R$ 28,5 milhões da União e R$ 22,7 milhões do governo estadual.

Próximo verão

Entre as obras que estão sendo feitas para minimizar os estragos provocados pelas chuvas no próximo verão, o governador paulista ressaltou as obras de desassoreamento dos rios Tietê e Pinheiros. “Nós já tiramos quase 900 mil metros cúbicos do Rio Tietê e 400 mil metros cúbicos do Pinheiros. Nós chegaremos até o final do ano com 1,6 milhão de metros cúbicos de desassoreamento”, afirmou Alckmin.

De acordo com o governador, já estão sendo licitados os quatro polders embaixo das pontes Aricanduva (margem direita e esquerda), Vila Maria (margem esquerda e direita), Vila Guilherme (margem esquerda) e do Limão (margem direita). A Marginal Tietê é mais baixa embaixo das pontes e, por isso, as águas costumam invadir as pistas nos dias de chuva forte. “Já enfrentaremos essa chuva com muito mais segurança, em muito melhor situação”, disse Alckmin.

Ele destacou ainda a construção do Parque Ecológico do Tietê, que prevê a construção de um piscinão natural que vai reter 2,8 milhões de metros cúbicos. O contrato com o BID já foi assinado, mas a obra deve demorar quatro anos.        

veja também