MENU

Passa de 870 o número de mortos na Região Serrana do Rio de Janeiro

Passa de 870 o número de mortos na Região Serrana do Rio de Janeiro

Atualizado: Terça-feira, 1 Fevereiro de 2011 as 1:14

As chuvas na Região Serrana do Rio de Janeiro já mataram, no total, 871 pessoas desde o dia 11 de janeiro, segundo as prefeituras das cidades atingidas. Já o número de desabrigados e desalojados chega a quase 35 mil em toda a região.

No domingo, o Comitê de Ações Emergenciais em Petrópolis informou que 71 corpos foram resgatados no município. Em Nova Friburgo, o número de vítimas chega a 416. Já em Teresópolis foram registrados 355 óbitos.  Também houve 22 mortes em Sumidouro, 6 em São José do Vale do Rio Preto e 1 em Bom Jardim.

Quase 35 mil pessoas fora de casa

Segundo dados das prefeituras e da Defesa Civil do estado, Teresópolis tem 9.110 desalojados e 6.727 desabrigados; Petrópolis (incluindo Itaipava) soma 6.223 desalojados e 191 desabrigados; e Nova Friburgo já contabiliza 3.220 desalojados e 2.031 desabrigados.

Outros municípios bastante afetados pela enxurrada de janeiro, São José do Vale do Rio Preto registra 2.018 desalojados e 300 desabrigados; Bom Jardim tem 1.186 desalojados e 632 desabrigados; Sumidouro soma 311 desalojados e 200 desabrigados; e Areal contabiliza 1.469 desalojados.

A lista da Defesa Civil cita ainda outros municípios atingidos pelas chuvas, como Santa Maria Madalena (284 desalojados e 44 desabrigados), Trajano de Moraes ( 188 desalojados e 28 desabrigados), Sapucaia (30 desalojados e 140 desabrigados), São Sebastião do Alto (32 desalojados e 75 desabrigados), Três Rios (36 desalojados e 33 desabrigados), Cordeiro (43 desabrigados), Carmo (55 desalojados e 12 desabrigados), Macuco (28 desalojados e 24 desabrigados), Cantagalo (8 desalojados) e Cachoeiras de Macacu (4 desabrigados).

Dez casos de leptospirose em Nova Friburgo

A prefeitura de Nova Friburgo informou na sexta-feira (28) que há dez casos de leptospirose confirmados no município após a enxurrada. De acordo com a assessoria de imprensa da prefeitura, todos os doentes já foram medicados, passam bem e não estão internados.

Em Teresópolis, há um caso notificado da doença – que é transmitida por água contaminada por urina de rato. Nos dois municípios, quase 140 pessoas ainda aguardam o resultado de exames.

Com o aumento dos casos suspeitos de leptospirose, equipes de agentes de saúde foram reforçadas. O trabalho de prevenção inclui o controle de ratos e o trabalho de orientação dos moradores. Quando se trata de doenças depois de tragédias, o pior ainda pode estar por vir.

Menos médicos

A secretária municipal de Saúde de Nova Friburgo, Jamila Calil, não descarta a possibilidade de surto da doença na cidade. Segundo ela, há menos médicos atendendo a população nos hospitais da cidade. Alguns pediram demissão depois das chuvas por causa da dificuldade de acesso, outros perderam suas casas.

Sobre a falta de médicos, no entanto, o órgão afirma que o problema já está controlado.

Parques fluviais

Ainda na sexta (28), a Secretaria estadual de Meio Ambiente anunciou que vai criar cinco parques nas margens de rios em Nova Friburgo, Teresópolis e Petrópolis. Serão ocupados 95 quilômetros das laterais, onde a vegetação original será recuperada.    

veja também