Passageira relata pânico em acidente com catamarã no Rio

Passageira relata pânico em acidente com catamarã no Rio

Atualizado: Segunda-feira, 28 Novembro de 2011 as 4

Passageira passou mal ainda dentro do catamarã

(Foto: Luana Freitas/Arquivo Pessoal) Dez pessoas ficaram feridas no acidente com o catamarã Gávea I, que saiu de Niterói, na Região Metropolitana do Rio, na tarde desta segunda-feira (28), segundo a assessoria de imprensa da concessionária do serviço. A embarcação bateu no píer da Praça XV por volta das 12h quando chegava de Niterói, na Região Metropolitana. Segundo informações da concessionária Barcas S/A, outras 15 pessoas tiveram sintomas nervosos. Posteriormente, o gerente da empresa que está no local, Mário Liberalli de Góes, calculou entre 22 a 25 o número de feridos.

Bombeiros que fazem o atendimento das vítimas no local estimam que houve um total de 20 feridos, mas eles frisam que esse número é apenas uma estimativa, pois alguns possíveis feridos no acidente foram embora quando saíram da barca.

Catamarã ficou danificado após batida (Foto: Reprodução/TV Globo)

A passageira Maria Aparecida Oliveira, muito nervosa, contou que já perto de atracar, a barca tomou mais velocidade e uma funcionária começou a gritar "ferro, ferro", segundo ela, dando a entender que a barca ia bater. Ela disse que o impacto foi muito forte e que um passageiro conseguiu destravar uma porta que dava acesso às máquinas e conseguiu travar o motor

"Ficou todo mundo em pânico procurando coletes salva-vidas e muitos já estavam de pé para descer da barca. O impacto foi tão forte que a barca chegou a ir para trás com muita rapidez e voltou a bater de novo no pier. Muita gente caiu e se machucou", disse ela, estimando em 50 o número de feridos.

Passageira que estava em catamarã precisou vestir o colete por segurança (Foto: Lilian Quaino/G1) De acordo com a concessionária, os feridos tiveram escoriações leves e estão sendo atendidos por bombeiros e médicos da própria empresa. Uma equipe da concessionária está na embarcação para apurar a causa do acidente.

Até as 14h desta segunda, pelo menos dez passageiros tinham sido levados em ambulâncias dos bombeiros para o Hospital Miguel Couto, na Zona Sul, de acordo com os agentes que estão no local. Bombeiros porém informaram que alguns feridos poderiam ser levados para outros hospitais, de acordo com disponibilidade atendimento nas emergências. Até agora, segundo os bombeiros, não há feridos em estado grave.

Outra passageira, Graciane Fischer, confirmou que o impactou foi muito forte e que muitos caíram no chão. Para ela, os funcionários, em vez de acalmar e orientar os passageiros, os deixaram mais nervosos gritando que iam bater e mandando pegarem os coletes.

"A gente não sabia o que fazer, se deitava no chão, se pegava colete. E depois da batida, demorou uma hora até deixarem gente sair", contou. Ainda não há informações sobre as causas do acidente.

Segundo o gerente das Barcas, a Capitania dos Portos e a Marinha vão investigar as causas do acidente. Ele contou que o catamarã teve problemas na atracação na chagada ao Rio, vindo de Niterói, e bateu num pier já desativado da estação. "A comandante tirou a embarcação de perto da estação, fez a parada total, jogando a âncora e iniciou as providências de socorro aos feridos", explicou Liberalli.

Ele disse ainda que os bombeiros foram chamados e chegaram rapidamente. Foi quando o Gávea 1 atracou e os bombeiros entraram pra fazer a triagem dos feridos.

A concessionária explicou que, após avaliação de equipe técnica da empresa, foi apurado que realmente algumas cadeiras se quebraram e/ou soltaram, por conta do impacto, conforme relataram alguns passageiros.        

veja também