MENU

Passageiro de ônibus sinalizou para trem parar em acidente no ABC

Passageiro de ônibus sinalizou para trem parar em acidente no ABC

Atualizado: Sexta-feira, 10 Junho de 2011 as 12:49

Passageiro que sinalizou para trem parar foi à

delegacia procurar pertences perdidos no acidente

(Foto: Caroline Hasselmann/G1)

  Foi aos gritos, com as mãos e camisa para cima que o passageiro do ônibus Cláudio Almeida dos Santos, montador de automóveis, disse que acenou para o trem parar após a queda do coletivo de um viaduto em cima dos trilhos da Linha 10-Turquesa, da CPTM, nesta quinta-feira (9), no limite entre as cidades de São Caetano do Sul e Santo André, no ABC. Cláudio conta que ajudou a retirar a motorista que estava presa no coletivo. Na manhã desta sexta-feira (10), ele foi até ao 2º DP de Santo André procurar documentos que perdeu no acidente.

Nesta manhã, o maquinista Ednalvo Delmiro da Silva, de 40 anos, que conduzia o trem, ressaltou o papel do passageiro que sinalizou o local do acidente e disse que não se sentia um herói. “Estão dizendo que eu sou um herói, mas eu não me sinto um herói, porque se a pessoa não acena, eu não tenho tempo hábil para parar o trem”, disse o maquinista ao ser homenageado pelo governador Geraldo Alckmin.     Cláudio disse que ia a uma consulta médica. Segundo ele, a motorista não estava em alta velocidade e teria perdito o controle da direção ao sair de um trecho asfaltado da rua para entrar em um trecho de paralelepípedos. Ele afirma que não viu nenhum carro na contramão e, quando percebeu, que o ônibus ia cair, se segurou. Cláudio caiu em pé. “O fator foi o paralelepípedo”, disse.

“Depois da queda, alguém gritou ‘o trem’, e saí correndo em direção a ele. Gritei, levantei as mãos e a blusa. Quando ele passou por mim, vi que freou e chegou a sair faíscas do trilho”, lembra.

Ele conta que voltou correndo para socorrer duas pessoas que ainda estavam no ônibus - um senhor e a motorista. “ Não vi que o trem tinha batido, só depois pela televisão. Não me sinto herói por ter sinalizado ao trem. Acho que minha atitude foi boa ao ajudar a motorista. Ali ajudei de verdade”, disse.

Claúdio também foi atendido no Hospital de Emergências Albert Sabin e recebeu alta ainda quinta.

Acidente deixou 15 pessoas feridas no ABC, na manhã desta

 quinta-feira (Foto: Nelson Antoine/Foto Arena/AE)

  Depoimentos

Segundo o delegado Luís Fabiano Gagliato, plantonista do 2º Distrito Policial de Santo André, a polícia começará nesta sexta-feira a agendar os depoimentos das vítimas, que devem acontecer a partir da próxima semana. “A partir de hoje, começarão a ser feitos os agendamentos das oitivas das vítimas. O delegado titular [Oswaldo Fuentes Júnior] irá designar o inquérito para o delegado assistente Marcos Duarte”, informou Gagliato.

Nesta quinta, a polícia instaurou o inquérito que vai investigar as prováveis causas do acidente. Segundo Gagliato, o inquérito é de lesão corporal culposa.

Pela manhã o movimento na delegacia era de apenas pessoas que buscavam pelos pertences que perderam no acidente. Cláudio de Paula, pai de Tiago Augusto de Paula que continua internado no hospital, veio até a delegacia procurar a mochila do filho com documentos, mas nada encontrou.

‘Na mochila tinha as carteirinhas do trem, do ônibus e alguns pertences. Mas o melhor é que meu filho está bem. Ele correu risco de ficar paraplégico”, afirmou.

De acordo com o delegado plantonista do 2º DP de Santo André, Roberto Von Hayden, um inquérito foi aberto, nesta quinta-feira (9), de lesão corporal culposa (quando não há intenção) da lei de trânsito, sem o agente causador definido.

Segundo ele, ainda vai ser agendada a intimação para ouvir 18 vítimas (passageiros do ônibus e do trem), a motorista Lílian Souza Freitas de 30 anos e o maquinista Edivaldo Belmiro da Silva. A polícia aguarda o laudo pericial que deve sair em até 30 dias.          

veja também