MENU

Passageiros ainda têm dificuldade para embarcar em Congonhas

Passageiros ainda têm dificuldade para embarcar em Congonhas

Atualizado: Segunda-feira, 29 Novembro de 2010 as 4:25

Após os atrasos e cancelamentos acima da média registrados no domingo (23), alguns passageiros da TAM ainda enfrentavam dificuldades para embarcar na manhã desta segunda-feira (29) em Congonhas, na Zona Sul de São Paulo. Até por volta do meio-dia, nove voos da TAM foram cancelados e 14 tiveram atrasos superiores a 30 minutos. A TAM informou que a expectativa é que os embarques sejam normalizados ao longo do dia.

Alguns judocas que participavam de um campeonato em Uberlândia (MG), que iriam embarcar no domingo, ainda aguardavam por volta das 11h a confirmação do voo que os levaria para Florianópolis. A judoca Angelita Sassi, de 23 anos, faz parte do grupo e teria que apresentar o seu trabalho de conclusão de curso de nutrição na faculdade nessa segunda-feira.   “Já liguei para minha professora, contei para ela o que estava acontecendo, mas não sei se ela acreditou. Peguei uma declaração da TAM explicando o que aconteceu com o meu voo”, afirmou a atleta enquanto aguardava a confirmação do voo. “Ontem eu estava em desespero. Hoje estou mais calma. Só não quero fazer tudo de novo”, declarou.

O advogado Paulo Henrique Cremoneze, de 40 anos, embarcaria para Vitória nessa manhã quando soube do cancelamento do voo. “Precisava embarcar hoje. Amanhã [terça-feira, 30] tenho uma sustentação oral. É um caso importante. Só fico calmo porque consigo tocar alguma coisa no escritório pelo meu smartphone”, contou o advogado. “Eu sempre viajo com a TAM.

Nesse momento, eu só acho que deveriam colocar mais funcionários para orientar a gente”, disse ao esperar ser atendido. Em nota, a empresa explica que os atrasos foram provocados por um remanejamento na malha aérea por causa das fortes chuvas que atingiram a região Sudeste entre a noite de quinta-feira (25) e a madrugada de sexta-feira (26), "interrompendo as operações nos aeroportos de Congonhas, Guarulhos e Viracopos (Campinas), Santos Dumont e Galeão (Rio de Janeiro). Em consequência, 13 voos que deveriam pousar nos aeroportos paulistas e outros três nos do Rio de Janeiro tiveram de ser alternados para outros aeroportos, prejudicando a malha aérea e a escala da tripulação”, informa a nota.

A TAM afirma ainda, na tentativa de normalizar a situação, tem colocado aviões maiores - que fazem as rotas internacionais – para voar para destinos nacionais. "Os passageiros estão sendo acomodados nos voos mais próximos operados pela própria companhia e também por companhias congêneres, de acordo com a disponibilidade de assentos. A companhia oferece ainda a opção de transporte terrestre aos passageiros, nos casos em que essa alternativa é viável. Aos passageiros em trânsito, a companhia oferece alimentação e, se necessário, hospedagem."    

veja também