Passageiros protestam no Orkut contra serviços de ônibus no Rio

Passageiros protestam no Orkut contra serviços de ônibus no Rio

Atualizado: Sexta-feira, 2 Outubro de 2009 as 12

Ônibus que não param nos pontos, atrasos, condições precárias dos veículos, avanços de sinais e velocidades excessivas são queixas recorrentes daqueles que dependem do transporte público do Rio. Para protestar contra a má qualidade dos serviços, usuários do site de relacionamento Orkut criaram comunidades.

As linhas da Zona Oeste e da Baixada Fluminense estão entre as campeãs de reclamação.

Após alguns cliques é possível ler depoimentos de indignação. Na comunidade destinada ao trajeto Anchieta-Carioca, por exemplo, tem mais de 1,4 mil usuários.

'Barbaridades'

Nas comunidades, os passageiros podem registrar os problemas que passam ao utilizar este transporte público. É o caso de um morador de Freguesia, na Zona Oeste do Rio, que retratou diversas situações em seus comentários. "Como morador do bairro assisto a diversas barbaridades, como avanços de sinais, ônibus que não param no ponto, motoristas ofendendo idosos. Um descaso total com o cliente e não cliente", disse o homem, que pediu para manter a identidade preservada.

Além de denunciar a qualidade precária dos serviços oferecidos pelas empresas de ônibus, as comunidades abrem espaço para enquetes. Temas como "Você já foi atropelado pelo 'Caxias' ou conhece alguém que tenha sido?", "Qual viação você gostaria que operasse a linha 395 e 379?" e "Em que trecho a linha Caxias-Pau Ferro corre mais?" tem atraído comentários dos passageiros.

Por outro lado, empresas de ônibus criaram suas próprias comunidades para divulgar o trajeto das linhas e os horários disponíveis para os passageiros.

"Acredito que Orkut seja uma ferramenta de apoio, já que, de lá, saem muitas informações contra pedofilia, tráfico de armas, drogas e outros crimes. Mas não acredito que o Orkut consiga fazer sozinho as coisas acontecerem. O Orkut é sim, uma ótima ferramenta para mostrar problemas que atrapalham a vida dos brasileiros", diz o usuário que pediu para não ser identificado.

Ônibus que não param nos pontos, atrasos, condições precárias dos veículos, avanços de sinais e velocidades excessivas são queixas recorrentes daqueles que dependem do transporte público do Rio. Para protestar contra a má qualidade dos serviços, usuários do site de relacionamento Orkut criaram comunidades.

As linhas da Zona Oeste e da Baixada Fluminense estão entre as campeãs de reclamação.

Após alguns cliques é possível ler depoimentos de indignação. Na comunidade destinada ao trajeto Anchieta-Carioca, por exemplo, tem mais de 1,4 mil usuários.

'Barbaridades'

Nas comunidades, os passageiros podem registrar os problemas que passam ao utilizar este transporte público. É o caso de um morador de Freguesia, na Zona Oeste do Rio, que retratou diversas situações em seus comentários. "Como morador do bairro assisto a diversas barbaridades, como avanços de sinais, ônibus que não param no ponto, motoristas ofendendo idosos. Um descaso total com o cliente e não cliente", disse o homem, que pediu para manter a identidade preservada.

Além de denunciar a qualidade precária dos serviços oferecidos pelas empresas de ônibus, as comunidades abrem espaço para enquetes. Temas como "Você já foi atropelado pelo 'Caxias' ou conhece alguém que tenha sido?", "Qual viação você gostaria que operasse a linha 395 e 379?" e "Em que trecho a linha Caxias-Pau Ferro corre mais?" tem atraído comentários dos passageiros.

Por outro lado, empresas de ônibus criaram suas próprias comunidades para divulgar o trajeto das linhas e os horários disponíveis para os passageiros.

"Acredito que Orkut seja uma ferramenta de apoio, já que, de lá, saem muitas informações contra pedofilia, tráfico de armas, drogas e outros crimes. Mas não acredito que o Orkut consiga fazer sozinho as coisas acontecerem. O Orkut é sim, uma ótima ferramenta para mostrar problemas que atrapalham a vida dos brasileiros", diz o usuário que pediu para não ser identificado.

Ônibus que não param nos pontos, atrasos, condições precárias dos veículos, avanços de sinais e velocidades excessivas são queixas recorrentes daqueles que dependem do transporte público do Rio. Para protestar contra a má qualidade dos serviços, usuários do site de relacionamento Orkut criaram comunidades.

As linhas da Zona Oeste e da Baixada Fluminense estão entre as campeãs de reclamação.

Após alguns cliques é possível ler depoimentos de indignação. Na comunidade destinada ao trajeto Anchieta-Carioca, por exemplo, tem mais de 1,4 mil usuários.

'Barbaridades'

Nas comunidades, os passageiros podem registrar os problemas que passam ao utilizar este transporte público. É o caso de um morador de Freguesia, na Zona Oeste do Rio, que retratou diversas situações em seus comentários. "Como morador do bairro assisto a diversas barbaridades, como avanços de sinais, ônibus que não param no ponto, motoristas ofendendo idosos. Um descaso total com o cliente e não cliente", disse o homem, que pediu para manter a identidade preservada.

Além de denunciar a qualidade precária dos serviços oferecidos pelas empresas de ônibus, as comunidades abrem espaço para enquetes. Temas como "Você já foi atropelado pelo 'Caxias' ou conhece alguém que tenha sido?", "Qual viação você gostaria que operasse a linha 395 e 379?" e "Em que trecho a linha Caxias-Pau Ferro corre mais?" tem atraído comentários dos passageiros.

Por outro lado, empresas de ônibus criaram suas próprias comunidades para divulgar o trajeto das linhas e os horários disponíveis para os passageiros.

"Acredito que Orkut seja uma ferramenta de apoio, já que, de lá, saem muitas informações contra pedofilia, tráfico de armas, drogas e outros crimes. Mas não acredito que o Orkut consiga fazer sozinho as coisas acontecerem. O Orkut é sim, uma ótima ferramenta para mostrar problemas que atrapalham a vida dos brasileiros", diz o usuário que pediu para não ser identificado.

Ônibus que não param nos pontos, atrasos, condições precárias dos veículos, avanços de sinais e velocidades excessivas são queixas recorrentes daqueles que dependem do transporte público do Rio. Para protestar contra a má qualidade dos serviços, usuários do site de relacionamento Orkut criaram comunidades.

As linhas da Zona Oeste e da Baixada Fluminense estão entre as campeãs de reclamação.

Após alguns cliques é possível ler depoimentos de indignação. Na comunidade destinada ao trajeto Anchieta-Carioca, por exemplo, tem mais de 1,4 mil usuários.

'Barbaridades'

Nas comunidades, os passageiros podem registrar os problemas que passam ao utilizar este transporte público. É o caso de um morador de Freguesia, na Zona Oeste do Rio, que retratou diversas situações em seus comentários. "Como morador do bairro assisto a diversas barbaridades, como avanços de sinais, ônibus que não param no ponto, motoristas ofendendo idosos. Um descaso total com o cliente e não cliente", disse o homem, que pediu para manter a identidade preservada.

Além de denunciar a qualidade precária dos serviços oferecidos pelas empresas de ônibus, as comunidades abrem espaço para enquetes. Temas como "Você já foi atropelado pelo 'Caxias' ou conhece alguém que tenha sido?", "Qual viação você gostaria que operasse a linha 395 e 379?" e "Em que trecho a linha Caxias-Pau Ferro corre mais?" tem atraído comentários dos passageiros.

Por outro lado, empresas de ônibus criaram suas próprias comunidades para divulgar o trajeto das linhas e os horários disponíveis para os passageiros.

"Acredito que Orkut seja uma ferramenta de apoio, já que, de lá, saem muitas informações contra pedofilia, tráfico de armas, drogas e outros crimes. Mas não acredito que o Orkut consiga fazer sozinho as coisas acontecerem. O Orkut é sim, uma ótima ferramenta para mostrar problemas que atrapalham a vida dos brasileiros", diz o usuário que pediu para não ser identificado.

veja também