MENU

Pecuaristas não conseguem vacinar animais porque faltam doses em MS

Pecuaristas não conseguem vacinar animais porque faltam doses em MS

Atualizado: Domingo, 10 Julho de 2011 as 10:57

Pecuaristas de todo Mato Grosso do Sul aproveitam o manejo da vacinação contra a febre aftosa para proteger seu rebanho contra a brucelose, que é obrigatória para fêmeas de três a cinco meses. No entanto, neste ano o produtor se deparou com a falta de vacinas contra brucelose nas revendas de produtos agropecuários no estado. Como o período de vacinação da aftosa já terminou, nem todos os pecuaristas puderam imunizar o gado contra a brucelose.

A veterinária Cláudia Almeida, da fazenda Perdizes, em Campo Grande, conta que o rebanho da propriedade tem mais de três mil cabeças e fazendo as aplicações de uma vez só os animais ficam menos estressados. Ela explica que só conseguiu imunizar as fêmeas contra brucelose este ano porque já tinha no estoque doses suficiente para o gado.

A brucelose é uma zoonose e pode contaminar também os humanos. Por isso é muito importante fazer o controle e a erradicação dessa doença. De acordo com o calendário sanitário de Mato Grosso do Sul, três vacinas são obrigatórias, a brucelose, a raiva, nas regiões endêmicas, e a febre aftosa.

Desde o início deste ano, as revendas de produtos agropecuários estão com dificuldades em suprir a demanda. De acordo com o empresário do ramo, Ferez Soubhia Filho, os laboratórios não estão entregando o produto na quantidade necessária.

“Nós já estamos detectando essa falta desde o início do ano. Toda vez que chegam as doses da vacina contra a brucelose na minha loja, a saída é imediata porque a procura é muito grande. Hoje estamos recebendo do laboratório apenas 50% do normal das vendas”, explica o empresário.

Para o diretor do Departamento de Fiscalização de Insumos Pecuários do Ministério da Agricultura, Ricardo Pamplona, a explicação para a falta de produto no mercado é o rápido aumento na demanda.

“Com a implantação gradativa do controle da doença nas unidades da federação aumentou essa demanda pela busca do produto. Já estamos em negociações com o setor produtivo e vamos estabelecer um cronograma para agilizar a liberação dos testes feitos na vacina, tanto nas que estão sendo produzidas agora quanto nas que ainda vão ser fabricadas e também entrarão no controle de qualidade do Ministério da Agricultura, garante Pamplona.

Preços em alta

Com a falta de produto no mercado, os preços das doses da vacina contra a brucelose triplicaram. De acordo com o empresário Ferez Soubhia Filho, o custo da vacina no início de 2010 era de R$ 0,40, atualmente ela custa em torno de R$ 1,35.  

veja também