MENU

"Pedofilia não é um crime novo", afirma José Bruno

"Pedofilia não é um crime novo", afirma José Bruno

Atualizado: Sexta-feira, 12 Junho de 2009 as 12

O deputado e bispo José Bruno que luta para combater o abuso sexual contra crianças e adolescentes no estado de São Paulo, afirmou em recente entrevista para a mídia da região do Alto Tietê, que a pedofilia existe há muitos anos e produziu marcas na vida de uma parte expressiva dos adultos de hoje.

A afirmação aconteceu durante a audiência pública realizada na cidade de Suzano, em 4 de junho, quando o parlamentar explanou sobre a atuação dos pedófilos e trouxe dados estatísticos sobre abuso sexual em São Paulo. "A diferença hoje é a facilidade de ação que esses criminosos encontram por meio da Internet", declarou José Bruno, que apresentou estarrecedores números produzidos por esse canal.

O parlamentar mostrou que, de acordo com pesquisas e estudos de entidades que combatem a pedofilia, uma fotografia que exibe abuso sexual de criança chega a valer 100 dólares e um vídeo 1.000 dólares. "A internet ainda abriu a possibilidade de ganho, proporcionando um verdadeiro comércio, absurdo e hediondo, entre essas redes criminosas", alertou.

Durante sua explanação, José Bruno compartilhou que em diversos aconselhamentos que atendeu como bispo já ouviu muitos casos de abusos relatados por adultos, quando ainda eram crianças. "É uma marca terrível. A pessoa precisa ser ajudada, tratada para romper esse trauma que carrega durante toda sua vida", declarou. "Acredito que aqui hoje, nesse auditório, existem inúmeros adultos que, de uma forma ou outra, sofreram abuso sexual em sua infância. Isso não é um mal dos dias de hoje", afirmou.

José Bruno vê nesse momento, a possibilidade de encarar o problema e, por meio das audiências públicas e discussões com especialistas e com a população, gerar soluções efetivas para combater o crime e ajudar as centenas de vítimas produzidas por essa violência em São Paulo. "O estado tem que apresentar políticas públicas de enfrentamento a essa violência, de apoio às vítimas e de prevenção para que as crianças não sejam presas fáceis para os pedófilos e suas redes malignas", argumentou.

veja também