MENU

Pescadores resgatados são aguardados com ansiedade no Rio

Pescadores resgatados são aguardados com ansiedade no Rio

Atualizado: Terça-feira, 28 Junho de 2011 as 4:12

Família aguarda nesta terça pescadores à deriva

que foram resgatados (Foto:Aluizio Freire/G1)

  Depois de ficarem 18 dias à deriva, os seis tribulantes da embarcação “Wiltamar III”, resgatados na noite de segunda-feira (27), são aguardados com enorme expectativa por seus familiares e equipes da Marinha, na Capitania dos Portos, na Praça XV, Centro do Rio, na tarde desta terça-feira (28).

O “Wiltamar III” saiu de Cabo Frio, na Região dos Lagos do Rio de Janeiro, no dia 1º de junho e a previsão de retorno seria por volta do dia 9 do mesmo mês.

Segundo comunicado da Marinha, todos foram localizados com vida e aparentemente em bom estado de saúde. Três ambulâncias foram colocadas à disposição para realizar os primeiros socorros ou conduzi-los aos hospitais mais próximos.

Navio italiano que resgatou pescadores à deriva no Rio de Janeiro (Foto: Aluizio Freire/G1)

  De acordo com o comandante de mar e guerra Walter Eduardo Bombarda, as causas do naufrágio serão investigadas através de um inquérito administrativo. Mas, segundo as primeiras informações, a embarcação, que foi encontrada pelo navio mercante “Marola”, de bandeira italiana, a 290 milhas sudeste do Rio de Janeiro, na divisa de Santa Catarina, cumpria as exigências de navegação.

O navio-patrulha Gurupá, do Comando do Grupamento de Patrulha Naval do Sudeste, vai acompanhar o mercante até a entrada da Baía de Guanabara, onde uma lancha vai levar os tripulantes até a sede da Capitania dos Portos.

Lancha vai trazer os pescadores que estavam à deriva para a Capitania dos Portos (Foto: Aluizio Freire/G1)

  O Comando do 1º Distrito Naval iniciou uma grande operação de busca e salvamento no dia 10, logo que foram informados que a embarcação não havia retornado ao porto de destino.

“Foi acionado o sistema de salvaguarda da vida humana no mar, mobilizados navios e aeronaves da Marinha para localizar a embarcação. Com essa operação, que contou também com chamadas de rádio a todos os navios mercantes que trafegavam na área, que conseguimos êxito”, explicou o comandante Bombarda.          

veja também