MENU

Pesquisa do Ibama revela que 98% das cidades da PB têm problemas com lixo

Pesquisa do Ibama revela que 98% das cidades da PB têm problemas com lixo

Atualizado: Quinta-feira, 3 Setembro de 2009 as 12

Uma pesquisa do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) revela que o lixo de 98% dos municípios paraibanos tem destino irregular. Os dejetos são encaminhados para lixões a céu aberto ao invés de aterros sanitários. Segundo o Ibama da Paraíba, apenas a região metropolitana de João Pessoa possui aterros dentro das exigências ambientais.

O procurador do órgão, Bruno Faro, informou ao G1 que nos lixões os dejetos não são submetidos a nenhum tipo de tratamento. Já nos aterros, são abertas valas que são constantemente fiscalizadas pela Superintendência Estadual do Meio Ambiente (Sudema).

Faro ainda ressaltou que o município de Campina Grande tem a pior situação do estado. "Lá não existe aterro sanitário. O lixão fica muito próximo da rodovia. O caminhão chega e despeja o lixo lá. O Ministério Público já entrou com ações, mas ainda não foi vista nenhuma ação do município", relata o procurador.

Além de Campina Grande, outros municípios deverão encaminhar projetos de criação de aterro sanitário. Eles serão encaminhados à Superintendência Estadual do Meio Ambiente (Sudema), que analisa e concede as licenças para execução dos aterros.

A diretora técnica da Sudema argumenta que o problema do lixo tóxico não é apenas na Paraíba. "A questão é nacional. O Brasil não possui lei que disciplina o gerencialmente do resíduo solido", ressaltou a diretora ao G1.

O Ibama sugeriu aos municípios que se desenvolva um projeto em forma de consórcio, na qual dois ou mais municípios se unem e contratam uma empresa que fica encarregada de levar o lixo para um aterro que atenda às exigências ambientais.

veja também