MENU

Pesquisa indica que comércio no Rio deve aumentar as vendas em mais de 10% para o Dia da Criança

Pesquisa indica que comércio no Rio deve aumentar as vendas em mais de 10% para o Dia da Criança

Atualizado: Quarta-feira, 6 Outubro de 2010 as 2:23

Pesquisa realizada pela Federação do Comércio do Estado do Rio de Janeiro (Fecomércio-RJ) aponta que os comerciantes da região metropolitana do Rio de Janeiro aguardam uma receita 13,6% acima da registrada em 2009 para o Dia da Criança deste ano. As estimativas são as maiores desde o início da série de pesquisas, realizada pela primeira vez em 2007.

O estudo indica que os setores que mais devem lucrar em 2010 são os de brinquedos, com um aumento aproximado de 15,9%, e roupas, cuja estimativa é de 13,4% de incremento nas vendas em relação ao ano passado. Os ramos de calçados, eletrônicos, CD/DVD e livraria também devem vender mais. Os empresários estão apostando em algumas estratégias para atrair consumidores, com promoções, aumento de estoque e decoração nas lojas.

Os vendedores da Sociedade de Amigos das Adjacências da Rua da Alfândega (Saara), região de comércio popular mais conhecida no centro do Rio de Janeiro, se mostram otimistas para as vendas do Dia da Criança.

De acordo com Ana Paula Bittencourt, da direção do Saara, as vendas aumentaram e alguns fabricantes têm contribuído com promoções. Ela observou que nesse período muitas pessoas fazem doações e preferem comprar no atacado para sair mais barato.

Postado por: Guilherme Pilão “A gente tem uma constatação no aumento de vendas, até agora, de 10% a 13% em relação ao ano passado. As bolas são campeãs de venda”, destacou Ana Paula.

Luciano Ribeiro, 33 anos, responsável por uma loja de roupas no Saara, declarou que espera aumento no faturamento.

“Nossa empresa vai começar na sexta-feira (8) a anunciar em rádio e televisão. Estamos com uma estratégia de vendas com promoções, houve um aumento de 20% até agora em relação ao ano passado. Fizemos um aumento de estoque porque em outros anos faltou mercadoria e os fornecedores estão com preços razoáveis”, informou Ribeiro.

veja também