Pesquisa mostra aumento da violência no Distrito Federal

Pesquisa mostra aumento da violência no Distrito Federal

Atualizado: Quarta-feira, 31 Março de 2010 as 12

Uma pesquisa com dados do Ministério da Saúde revelou o aumento da violência no Distrito Federal. O levantamento é referente ao período entre 1997 e 2007 e mostra que o número de homicídios na região passou de 668 para 815. Um aumentou de 22%.

Em dados relativos, o DF também subiu uma posição no ranking dos estados mais violentos. Em 1997, eram 35 mortes violentas a cada 100 mil habitantes. Dez anos depois, a taxa caiu para 33, mas o Distrito Federal passou do sexto para o quinto lugar no país.

Apesar do aumento dos números da violência, a Capital Federal tem o quarto maior orçamento de segurança pública do Brasil. Os salários dos policiais estão entre os mais altos do país. E a polícia é uma das mais qualificadas, com índice de 70% de esclarecimento de homicídios. 

Para o especialista em segurança Arthur Trindade, professor da Universidade de Brasília (UnB), a solução não passa por recursos, mas por integração política entre os órgãos do governo. "A solução desses homicídios não passa apenas pela polícia, mas ela depende fundamentalmente dos governos estaduais assumirem a questão de articularem ações", explica Arthur Trindade.

"A situação que está mais crítica em São Sebastião é a dos os jovens, por causa das gangues. Hoje em dia, eles não sabem mais resolver as coisas com palavras, só sabem resolver as coisas com a arma. Se um diz uma coisa para outro, então ele já vem com arma pra matar aquela outra pessoa", reclama a dona de casa Maria de Sousa Santos.

Outro dado da pesquisa mostra que os homens negros são as maiores vítimas da violência. Em 2007 morreram 114 brancos e 687 negros. A taxa de homicídio é de 64 homens a cada 100 mil habitantes. Entre as mulheres, é de cinco vítimas a cada 100 mil.

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública, as cidades mais violentas do Distrito Federal são Ceilândia, Samambaia e Planaltina. "Eu vivencio isso todos os dias. Com certeza, não tem dúvida de que Ceilândia é uma das cidades mais violentas", fala a estudante Mírian de Araújo Barros. "O DF continua muito violento e pouco seguro", afirma Arthur Trindade.

A Secretaria de Segurança Pública informou que não vai comentar a pesquisa porque os dados não coincidem com o levantamento feito nas delegacias do Distrito Federal. A Secretaria prometeu a divulgação de novos dados ainda hoje, dia 31, com informações sobre homicídios ocorridos no último ano.

veja também