MENU

Petistas e tucanos dividem mesa no aniversário da Força Sindical

Petistas e tucanos dividem mesa no aniversário da Força Sindical

Atualizado: Sexta-feira, 25 Março de 2011 as 8:19

Petistas e tucanos rivalizaram o discurso de apoio aos trabalhadores durante a cerimônia de aniversário de 20 anos da Força Sindical, a segunda maior entidade do país.

Em flerte com as centrais sindicais, dois dos maiores líderes do PSDB --o governador Geraldo Alckmin paulista e o senador Aécio Neves (MG)-- chegaram ao evento defendendo a renovação programática do partido e uma melhor relação com os sindicatos.

"Se a gente quer construir uma sociedade mais justa tem que valorizar o trabalhador", disse Alckmin.

Aécio saudou a Força e disse que tem relações de "longa data" com o presidente da entidade, deputado Paulinho da Força (PDT-SP) e que as centrais devem "pressionar e não servir a governos".

A resposta ao discurso dos tucanos veio na fala do presidente da Câmara, deputado Marco Maia (PT-RS).

"Eu tenho orgulho de dizer que eu sou torneiro mecânico, eu sou dirigente sindical. Eu nasci no movimento", afirmou o petista. "Por isso, a Força sabe, as centrais sindicais sabem que poderão contar com o nosso compromisso, o nosso trabalho e a nossa luta."

Aécio e Alckmin aproveitam os recentes desentendimentos entre os sindicalistas e o governo federal, comandado pela presidente Dilma Rousseff, para buscar maior aproximação com as centrais.

O secretário-geral da Presidência, ministro Gilberto Carvalho leu uma mensagem em nome de Dilma e, antes, ressaltou a independência dos sindicalistas, como desagravo pelos últimos desentendimentos.

"Sindicalista não deve ir ao planalto para lamber bota de governo. É nessa maturidade que estamos vivendo que eu quero saudar os 20 anos da Força", afirmou.

CONSELHO POLÍTICO

Na chegada ao evento, Aécio Neves defendeu a formação de um "conselho político" no PSDB, formado por notáveis do partido, como Fernando Henrique Cardoso e o ex-governador José Serra.

Segundo Aécio, o conselho formularia consolidaria as novas propostas do PSDB. Aécio tem defendido a reformulação do partido.

O senador disse que não há contradição entre pregar a renovação e apostar nela com nomes históricos do partido.

veja também