MENU

PF faz cópia de arquivos digitais de Tuma Júnior em ministério

PF faz cópia de arquivos digitais de Tuma Júnior em ministério

Atualizado: Sexta-feira, 11 Junho de 2010 as 9:46

A Polícia Federal realizou de maneira sigilosa uma operação dentro do Ministério da Justiça: copiou os discos rígidos dos computadores de Romeu Tuma Júnior, secretário nacional de Justiça, e de seu chefe de gabinete, Maurício Correale.

Disco rígido é o dispositivo que armazena os dados de um computador. A sua reprodução foi autorizada pela juíza da 3ª Vara Criminal Federal, Letícia Ferreira Lopes.

A cópia foi feita no último dia 1º como parte do inquérito em que ele é investigado sob suspeita de ter praticado os crimes de advocacia administrativa, corrupção passiva e formação de quadrilha.

Advocacia administrativa é o crime em que o funcionário público defende interesses particulares na administração pública.

Por conta das suspeitas, Tuma Jr. tirou férias. O ministro da Justiça, Luiz Paulo Barreto, deu aval ao procedimento da PF, segundo a Folha apurou, e já defendeu que ele se demita do cargo.

Tuma Júnior está sob investigação da PF por conta de suas ligações com o chinês naturalizado brasileiro Li Kwok Kwen, conhecido como Paulo Li, acusado de fazer parte da máfia chinesa.

Li está preso desde setembro do ano passado, sob acusação de trazer ilegalmente telefones celulares da China.

Na investigação que culminou com a prisão, a PF diz ter encontrado indícios de que Tuma Júnior ajudaria Li a regularizar a situação de chineses que estavam em situação irregular no país - imigração é uma das áreas que estava sob sua chefia no Ministério da Justiça.

Ele também depôs por 13 horas em uma comissão de sindicância que investiga a sua situação.

O secretário nega ter ajudado Li. Diz que jamais cometeu irregularidades e que continuará no cargo.

Por Mario Cesar Carvalho

veja também