MENU

Pichadores atacam painel de grafite mais famoso de São Paulo

Pichadores atacam painel de grafite mais famoso de São Paulo

Atualizado: Sexta-feira, 19 Março de 2010 as 12

Um grupo de pichadores atacou, no começo desta madrugada, o painel de grafite de 680 metros na alça de acesso da 23 de Maio ao elevado Costa e Silva, na Bela Vista. O local exibe trabalhos da famosa dupla osgemeos, entre outros expoentes da street art. O mesmo trecho já havia sido atingido por agentes da prefeitura em 2008 - à época, os funcionários municipais cobriram as obras com tinta cinza por avaliar que o local era alvo de vandalismo.

Desta vez, a administração agiu rapidamente, mas para eliminar o trabalho dos pichadores e proteger os grafites. Quem passou pelo local nesta manhã nada percebeu. A extração do piche foi beneficiada pela ação rápida da prefeitura, que foi alertada do ataque durante a pichação e não precisou danificar as obras para tirar as letras pontudas.

Além de acrescentar mais um capítulo à rixa entre os dois grupos, a ação ensaiou um protesto contra o prefeito Gilberto Kassab (DEM). Um dos recados chamava atenção para "a cidade em calamidade". Os pichadores também inseriram uma cifra no mural (R$ 200 mil) - número que atribuem ao custo da "maquiagem" no local (entre gastos com tinta, cachê para os grafiteiros etc). Por fim, escreveram ofensas pessoais a Kassab. Segundo apurou a reportagem, o grupo planeja "atravessar" outros grafites.

A reportagem entrou em contato com a irmã dos grafiteiros osgemeos. Ela diz que eles não se manifestaram ainda por "não saber do ocorrido". A prefeitura, também questionada pela reportagem, não respondeu até a publicação deste texto.

O grupo do ataque desta madrugada é o mesmo que em de junho de 2008 se dirigiu ao Centro Universitário Belas Artes, na Vila Mariana (zona sul), e cobriu o local com letras pontudas, feitas com spray, a fachada da recepção, escadas e salas de aula. Também estiveram nos ataques à piche na galeria Choque Cultural, em Pinheiros, e da 28ª Bienal Internacional de São Paulo, que terminou na prisão de Caroline Pivetta.

À venda

Gustavo e Otávio Pandolfo (osgemeos) estão trabalhando em São Paulo neste mês, levando seus traços à fachada do MAM-SP (Museu de Arte Moderna de São Paulo). Ontem, a imprensa internacional noticiou que o trabalho da dupla estará em um leilão a ser realizado em Londres em abril. Os arremates ficarão restritos à arte contemporânea das quatro potências emergentes que integram o grupo conhecido como Bric (Rússia, Índia, China e Brasil).

Entre as obras brasileiras estão "Bicho", de Lygia Clark (de R$ 489,6 mil a R$ 598,4 mil), um trabalho sem título de Helio Oiticica (de R$ 163,2 mil a R$ 217,6 mil) e "Mauria, Esmeraldo, Pomela, Nascimento, Valdelios e Amildala" (2008) dos grafiteiros paulistanos.

Por: Diógenes Muniz

veja também