MENU

Pivô de denúncias envolve PSDB no mensalão do DEM no DF

Pivô de denúncias envolve PSDB no mensalão do DEM no DF

Atualizado: Terça-feira, 1 Dezembro de 2009 as 12

Pivô das denúncias do mensalão do DEM, o ex-secretário de Relações Institucionais do Distrito Federal Durval Barbosa acusa o PSDB de também participar do esquema de caixa dois que teria sido montado pelo governador José Roberto Arruda (DEM) durante a campanha eleitoral de 2006, informa reportagem de Hudson Corrêa e Fernanda Odilla, publicada nesta terça-feira pela Folha de São Paulo.

Segundo a reportagem, quem atuou pelos tucanos na coleta de propina e distribuição do dinheiro a aliados políticos, segundo Barbosa, foi o próprio presidente da legenda no DF, Márcio Machado.

Filiado ao PSDB há 14 anos, Machado assumiu a Secretaria de Obras do governo do DF quando Arruda tomou posse. Ele era cotado para ser candidato ao Senado na chapa que uniria DEM, PSDB e PMDB.

Em depoimento ao Ministério Público do DF, em 16 de setembro, Barbosa disse que o presidente do PSDB-DF ia às vezes até a sua casa para tratar do dinheiro da propina.

O ex-secretário mencionou aos promotores três pagamentos supostamente feitos pelo tucano: R$ 6 milhões para o deputado Benedito Domingos (PP); R$ 200 mil para Adalberto Monteiro, presidente local do PRP; e R$ 100 mil para Omar Nascimento, que comanda o diretório regional do PTC.

Outro lado

Márcio Machado disse que atuou só como um amigo na campanha do governador José Roberto Arruda (DEM) em 2006. Ele negou que tenha arrecadado dinheiro de propina para pagar apoio de partidos ao então candidato.

Machado afirmou que a responsabilidade pela arrecadação de recursos era do tesoureiro de campanha e que tudo foi declarado legalmente à Justiça Eleitoral. Disse também que não falaria sobre o processo, pois seus advogados não tiveram acesso a todos os documentos da investigação.

Domingos não foi localizado. Monteiro negou ter recebido qualquer contribuição de Machado. ''Nem o conheço'', afirmou. Omar Nascimento, que comanda o PTC-DF, disse que não apoiou Arruda em 2006.

veja também