MENU

Planejamento Estratégico do Tocantins para 30 anos começa a ser elaborado

Planejamento Estratégico do Tocantins para 30 anos começa a ser elaborado

Atualizado: Terça-feira, 2 Fevereiro de 2010 as 12

Os trabalhos para a elaboração do Planejamento Estratégico do Tocantins para os próximos 30 anos inciaram na quarta-feira, dia 27, no Palácio Araguaia, com a apresentação da proposta e a abertura de um curso de capacitação para cerca de 150 técnicos da área de Planejamento de todas as secretarias estaduais. O evento contou com a participação do governador Carlos Henrique Gaguim, do vice-governador Eduardo Machado, de secretários estaduais e representantes da Fundação Dom Cabral, instituição que irá trabalhar em parceria com o governo estadual na elaboração do Planejamento Estratégico.

O governador Carlos Henrique Gaguim destacou o fato da Fundação Dom Cabral capacitar os servidores estaduais que irão elaborar o Planejamento Estratégico. "Esses nossos servidores vão estar qualificados para que possam fazer os projetos em benefício do nosso povo. Com esse planejamento, o governo poderá também buscar empréstimos internacionais, receitas e fazer com o Tocantins possa oferecer segurança aos empresários que quiserem investir em nosso estado", disse o governador.

De acordo com o vice-governador Eduardo Machado, um planejamento estratégico de longo prazo como esse proporciona segurança também para as decisões dos futuros governantes. "Nós temos que ter a visão de que o Tocantins está crescendo e merece um conceito de ações planejadas para que governantes possam decidir com eficência. Porque o que acontece no futuro é fruto de decisões tomadas e planejadas anteriormente", pontuou.

O professor de Gestão Pública da FDC, Caio Marini, que ministra a capacitação aos técnicos do governo, explicou como é o método utilizado para um planejamento deste tipo. "A gente pensa o futuro, analisando as dimensões econômicas, políticas, sociais, tecnológicas desse cenário futuro. Daí a gente extrai quais são os impactos que esses cenários possíveis vão trazer para o Estado, e a partir disso se estabelece um plano, que é um conjunto de iniciativas que o Estado vai adotar para alcançar esses resultados. Tanto as iniciativas quanto os resultados precisam ser medidos por indicadores, que é o modo do Estado gerenciar as ações desenvolvidas ao longo do tempo", disse.

Projetos estruturantes

O secretário estadual do Planejamento, David Siffert Torres, apresentou aos participantes as etapas do Planejamento Estratégico e disse que as secretarias estaduais já enviaram à Seplan – Secretaria Estadual de Planejamento os seus projetos e programas estruturantes, que têm reflexos a longo prazo. "Vamos estudar todos os projetos estruturantes das secretarias e também montar um banco de dados com as ações e informações do governo", explicou.

Para se visualizar mais claramente um projeto estruturante, a superintendente de Planejamento da Seplan, Regina Martins, exemplificou. "Os pátios multimodais da Ferrovia Norte Sul, por exemplo, podem ser considerados um projeto estruturante. Se olharmos para o futuro, esse é um projeto de longo prazo, mas a parte da estruturação das plataformas é um projeto de médio e curto prazo. Então, temos que estruturar os projetos de longo prazo, para podermos agregar esses pequenos projetos de curto e médio prazos", afirmou.

Próximos passos

A capacitação dos técnicos da área de Planejamento das secretarias pela Fundação Dom Cabral, que dura até esta quinta-feira, 28, é a primeira etapa da elaboração do documento. Após esta fase, será realizado um diagnóstico da situação atual do Tocantins. Em seguida, será fomulado o Planejamento Estratégico e definidos os indicadores de performance dos objetivos estratégicos do governo para os próximos 30 anos. A última etapa dos trabalhos é a validação do Planejamento Estratégico pelo governador Carlos Henrique Gaguim, previsto para o dia 13 de março.

Por: Aquiles Lins

veja também