MENU

PM abre inquérito para apurar morte de homem com furadeira no Rio

PM abre inquérito para apurar morte de homem com furadeira no Rio

Atualizado: Quinta-feira, 1 Julho de 2010 as 9:22

A Polícia Militar resolveu abrir um Inquérito Policial Militar (IPM) para apurar a responsabilidade do cabo do Batalhão de Operações Especiais (Bope), Leonardo Albarello, na morte do vendedor Hélio Ribeiro, em maio deste ano. Na ocasião, Albarello participava de uma operação no Morro do Andaraí, na Zona Norte do Rio, e atirou no morador após confundir a furadeira que ele usava no terraço de casa com uma arma .

Na época do episódio, a polícia admitia o erro , mas ponderava que a situação em que o policial estava era de risco. Segundo a polícia, até a conclusão do IPM ele permanece em funções administrativas no batalhão. Na semana passada, policiais da 20ª DP (Vila Isabel) e peritos do Instituto de Criminalística Carlos Éboli fizeram uma reconstituição do crime para apurar se era possível ouvir o barulho da furadeira de onde estava o policial e se o vendedor poderia ter ouvido gritos para largar a ‘arma’. Participaram ainda a viúva de Hélio e um policial que estava com Albarello. O resultado da perícia deve sair em até 30 dias.

Como foi

Hélio Ribeiro foi morto no dia 19 de maio. Os policiais faziam uma operação no local, à procura de traficantes do Morro do Borel, na Tijuca, que estariam escondidos no Morro do Andaraí, perto da vila onde morava Hélio.

Ele estava no terraço usando uma furadeira e, segundo testemunhas, o policial do Bope atirou a uma distância de 40 metros, achando que a furadeira era uma arma. Hélio foi atingido e morreu .

Segundo a família, o policial atirou sem falar nada. Já a PM deu outra versão. Segundo capitão Ivan Blaz, do Bope, foi dado um grito de alerta para o morador, que fez um movimento brusco e o policial fez o disparo .

veja também