MENU

PM patrulha linhas de ônibus para coibir assaltos em Campo Grande

PM patrulha linhas de ônibus para coibir assaltos em Campo Grande

Atualizado: Segunda-feira, 6 Junho de 2011 as 4:28

  Somente neste ano em Campo Grande, a polícia registrou 247 assaltos a ônibus, sendo 73 no mês de maio. A soma das ocorrências até agora corresponde a cerca de um assalto por dia. Quando o bandido não encontra dinheiro no caixa, a vítima acaba sendo o próprio usuário do transporte coletivo.

Para tentar diminuir a ação dos criminosos, o comando da Polícia Militar distribuiu 100 homens nas linhas consideradas mais perigosas. O trabalho é feito nos ônibus que seguem para bairros da regão sul, como Los Angeles, Lageado, Morada do Sol e Vespasiano Martins.

Entre os policiais também estão militares sem farda, como estratégia para tentar identificar e prender os criminosos com mais facilidade. "A gente já fazia esse trabalho de policiamento nos pontos de ônibus, mas como se intensificaram muito os roubos, estamos agindo de duas formas, preventiva e repressiva", explica o capitão José Edilson de Oliveira.

Câmera de segurança estão instaladas em 300 ônibus que fazem o transporte coletivo em Campo Grande. O equipamento ajuda a polícia a identificar os criminosos, mas não impede a ousadia dos assaltantes.

"A gente fica inseguro, não sabe que horas vai ser assaltado mas tem que ficar esperto", diz o auxiliar de armazém Luiz Carlos Benites Ribas.

Quem trabalha na linha de frente, quase sempre tem uma história para contar. "Eram dois indivíduos, um ficou na porta e o outro foi para a roleta, mandando o pessoal ficar quieto. O que ficou aqui pegou o dinheiro do caixa. É jogo rápido, eles descem e saem correndo", relata o motorista Edilson do Prado.

Os motoristas sentem a pressão, mas, sabem que precisam continuar com o trabalho. "Quando sai de casa tem que pedir ajuda a Deus para não acontecer nada", diz Claudemir Rodriguez.

Dentro dos ônibus a orientação da polícia é para que usuário cuide dos pertences, colocando bolsas e sacolas em local seguro, perto do campo de visão. Uma bolsa assim, para trás, pode ser alvo fácil.

"Tem que tomar muito cuidado com os pertences, porque o negócio está feio. A gente espera que não seja só hoje que a polícia esteja dentro do ônibus", pede a doméstica Marlene Ribeiro.

A Polícia Militar também dá outras dicas aos passageiros: "não utilizem objetos de valor para não atrair o marginal para os ônibus, e usar o mínimo de possível de dinheiro no bolso", orienta o capitão Edilson.

Há alguns anos, como forma de diminuir a criminalidade, a Associação das Empresas de Transporte Coletivo (Assetur) implantou o sistema de cartão eletrônico. "O cartão ajuda não só para o cidadão ter rapidez no embarque como ajuda na segurança, tirando o dinheiro de dentro do ônibus. Com certeza o assaltante sai de dentro do ônibus", diz João Rezende, presidente da Assetur.            

veja também