MENU

PM vai fazer ronda dentro de agências bancárias em SP

PM vai fazer ronda dentro de agências bancárias em SP

Atualizado: Sexta-feira, 13 Maio de 2011 as 1:52

Policiais militares durante reunião com representantes da Febraban (Foto: Juliana Cardilli/G1)

  A Polícia Militar pretende iniciar no dia 25 de maio um projeto piloto no qual os policiais farão rondas dentro de agências bancárias e em seus estacionamentos na cidade de São Paulo. A corporação aguarda dados compilados pelas instituições financeiras e pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban) para definir a localização das agências mais críticas, assim como seus horários mais vulneráveis. A medida faz parte de uma estratégia da PM para tentar combater novas modalidades de crimes contra os bancos.   “Nós vamos começar a adotar medidas de policiamento nos estacionamentos de algumas agências que são consideradas críticas, o policiamento dentro da agência, entrar nela no horário comercial”, disse o coronel Marcos Roberto Chaves, comandante de policiamento da capital paulista. A decisão foi anunciada após uma reunião da PM com representantes dos bancos e da Febraban, realizada na manhã desta sexta-feira (13).

A polícia espera para o início da próxima semana o envio dos dados compilados pelos bancos para definir a estratégia. Segundo o coronel, os policiais irão fazer rondas nas agências e ter um contato mais próximo com gerentes e funcionários. Serão realizadas também reuniões dos comandantes de área da PM com os gerentes de banco para troca de informações. “Nós temos uma parte do conhecimento da ação criminosa, e eles têm outra parte. Nós temos que juntar as duas.”

Segundo o coronel, a PM e os representantes dos bancos irão se reunir a cada dois meses para avaliar as metas e estratégias estabelecidas. A PM também pretende intensificar o policiamento por meio de monitoramento eletrônico, com as câmeras de segurança, nas agências bancárias mais vulneráveis.

Caixas eletrônicos

Nas últimas semanas, caixas eletrônicos têm sido alvo de assaltantes durante a madrugada – com explosivos, eles são destruídos e o dinheiro, furtado. “Hoje nós estamos tendo uma onda de furtos a caixas eletrônicos. Mas eu não tenho dúvida de que essa modalidade está com os dias contados. Nós temos que nos antecipar aos fatos, nós não podermos ficar esperando para saber qual vai ser a próxima onda. Que mais pontos vulneráveis podem surgir quando a gente conseguir fazer com que esse tipo de crime seja interrompido”, afirmou o coronel.

Segundo ele, a PM já intensificou o policiamento em áreas com maior vulnerabilidade aos furtos a caixas e está trabalhando em conjunto com a Polícia Civil para coibir o crime. “Nós já não tivemos nenhum nessa noite”, afirmou o coronel. Durante a reunião, a PM também recebeu dados de caixas eletrônicos instalados em outros pontos comerciais, que irão auxiliar na distribuição do policiamento.

Explosivos

O uso de explosivos por pessoas não habilitadas é uma das preocupações da Polícia Militar em relação à série de furtos ocorrida na cidade. Como os criminosos muitas vezes não sabem lidar com os explosivos, podem colocar em risco a eles próprios e outras pessoas. O uso exagerado do material também preocupa – nesta semana, uma agência bancária na Zona Sul de São Paulo foi destruída após caixas eletrônicos serem explodidos.

“Alguém que não tem habilitação para isso pode causar um problema no trajeto a si próprio, a terceiros, além do uso na agência. Isso nos preocupa”, disse o coronel Roberto Campos Oliveira, chefe do Estado Maior do Comando de Policiamento da capital. Segundo ele, há também uma preocupação de que o policial não esteja preparado para lidar com essa situação. “Que técnica ele deve empregar ao ser acionado para uma ocorrência dessas. O que o policial faz ao chegar ao banco e a explosão estar ocorrendo? Estamos buscando apoio de pessoas especializadas para a proteção do policial e da população.”

O coronel também ressaltou que a população deve ajudar no combate ao crime – tanto estando atenta quando está em agências e caixas eletrônicos quanto repassando informações para a polícia. Dispositivos usados por algumas redes fazem com que as notas de dinheiro sejam manchadas quando há um arrombamento do caixa. Neste caso, se uma pessoa receber uma nota manchada, ela deve procurar a polícia e informar a origem da cédula. A denúncia também pode ser feita de maneira anônima, por meio do telefone 181.      

veja também