MENU

PMDB da Câmara delega a líder do partido negociação de ministérios

PMDB da Câmara delega a líder do partido negociação de ministérios

Atualizado: Quinta-feira, 2 Dezembro de 2010 as 10:07

Uma moção assinada nesta quarta-feira (1º) por 54 deputados eleitos pelo PMDB delega ao líder do partido na Câmara, Henrique Eduardo Alves (RN), a missão de negociar os espaços do grupo no ministério de Dilma Rousseff. Alves, porém, afirma que vai repassar a tarefa ao presidente do partido e vice-presidente eleito, Michel Temer (SP).

O deputado Leonardo Quintão (PMDB-MG) foi um dos que liderou a coleta de assinaturas para a moção. O PMDB elegeu 77 deputados para a próxima legislatura, mas nem todos participaram da reunião desta tarde em Brasília. Os 54 que assinaram o texto repassam a Alves a definição dos espaços do grupo. A bancada do partido na Casa deseja indicar dois ministros.

"Nós estamos delegando ao Henrique a coordenação junto ao governo dos nossos espaços. A bancada reivindica dois ministérios, que é o que temos hoje", disse Quintão.

Alves minimizou a moção e afirmou que o presidente do partido, Michel Temer, é quem vai negociar pelo PMDB. ""Esse assunto quem vai tratar é exclusivamente o presidente Michel Temer. Eles me repassaram [a tarefa] e eu repasso ao presidente Temer"."

O líder do partido afirmou que cabe à presidente eleita definir quais os espaços do partido na administração e que o PMDB foi "parceiro na vitória" e aguarda a definição dela. Temer saiu mais cedo da reunião e confirmou o desejo dos deputados peemedebistas de indicarem dois ministros.

A reunião acabou discutindo também a situação de Sérgio Côrtes. O anúncio do nome dele pelo governador Sérgio Cabral (PMDB-RJ) como ministro da Saúde não agradou a bancada.

Mais cedo, Temer já tinha dito que a indicação não era do PMDB, mas da cota pessoal de Dilma. Deputados do partido, como Quintão e Rodrigo Rocha Loures (PR), também disseram que o partido não reconheceria como cota do partido esta indicação.

Após reunião com a presidente justamente sobre a área de saúde, o deputado José Eduardo Cardozo (PT), que é um dos coordenadores da equipe de transição, afirmou que ainda não houve escolha de nome para o cargo. Segundo ele, a própria presidente disse isso na reunião.

Por: Eduardo Bresciani

veja também