MENU

PMs presos no RJ faziam segurança de bombeiro assassinado, diz polícia

PMs presos no RJ faziam segurança de bombeiro assassinado, diz polícia

Atualizado: Sexta-feira, 1 Abril de 2011 as 12:51

Três dos quatro policias militares presos suspeitos de participar do assassinato do sargento bombeiro Antônio Carlos Macedo,  faziam, segundo agentes da Divisão de Homicídios, a escolta da própria vítima. O crime aconteceu em novembro do ano passado, na Praia da Reserva, no Recreio dos Bandeirantes, na Zona Oeste do Rio.

Na quinta-feira (30), agentes da da Divisão de Homicídios (DH) prenderam seis suspeitos do crime - até o momento, a polícia confirmou que quatro são PMs. Ainda de acordo com a polícia, Macedo teria sido chefe da segurança do contraventor Rogério Andrade.

De acordo com a polícia, todos os suspeitos presos têm algum tipo de envolvimento com Andrade. A DH vai investigar, a partir de agora, se eles também tiveram algum tipo de ligação com o atentado contra o contraventor, em abril de 2010. No ataque, seu filho, Diogo, de 17 anos, morreu.

Como foi

O sargento bombeiro foi morto com tiros de fuzil, no dia 10 de novembro do ano passado, quando passava pela Praia da Reserva. Segundo a polícia, pelo menos três homens encostaram ao lado do sargento, que estava em uma moto, e fizeram os disparos. Ele morreu na hora, atingido por quatro balas. Os criminosos usavam toucas ninja para esconder os rostos e abandonaram o carro em que estavam, incendiando o veículo, a cerca de 200 metros do local do crime.

Segundo fontes policiais, o sargento já tinha sido condenado em primeira instância por envolvimento com a máfia de caça-níqueis. Ele também já tinha sido preso administrativamente pelo próprio Corpo de Bombeiros, por infrações disciplinares.    

veja também