MENU

Pobre durante as eleições é mais chique que banqueiro, diz Lula

Pobre durante as eleições é mais chique que banqueiro, diz Lula

Atualizado: Quarta-feira, 9 Junho de 2010 as 7:17

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou a dizer nesta terça-feira (8) que os políticos costumam valorizar os pobres apenas durante as campanhas eleitorais. Segundo ele, antes das eleições ''pobre é mais chique que banqueiro'' para os candidatos, mas é logo ignorado pelos futuros dirigentes.

''É importante lembrar que a maioria dos políticos só gosta de pobre em época de eleição. Em época de eleição, pobre vira mais chique do que banqueiro. Em época de eleição, ninguém fala mal de pobre. Depois das eleições, eles nunca mais querem falar com pobre a não ser na próxima eleição'', criticou Lula, em Fortaleza, durante aula inaugural do ProJovem Urbano, programa que tem por objetivo investir na formação educacional e profissional jovens.

O presidente pediu empenho aos alunos e lembrou da infância pobre que teve em Pernambuco. ''Vocês precisam botar na cabeça que vocês serão o que quiserem. Nenhuma mulher ou homem pode desistir do que querem por causa da adversidade. Quem tiver esse comportamento será um fracasso na sua passagem pela Terra'', afirmou.

Lula disse ainda que vai continuar trabalhando com política no Brasil após o término do mandato, a partir de janeiro. Segundo o presidente, “vai quebrar a cara” quem pensar que ele vai viver viajando pelo exterior depois de deixar o governo.

''Eu vou deixar a presidência dia 31 de dezembro. Vocês podem ficar certos de que quem imaginar que vou deixar a política e viajar para o estrangeiro vai quebrar a cara. Quem imaginar que eu vou ficar em casa enchendo o saco da Dona Marisa vai quebrar a cara'', afirmou Lula. ''Vou continuar fazendo política, vou continuar lutando por esse país'', concluiu o presidente.

Copa ou Dilma

Mais cedo nesta nesta terça, em entrevista à FM Jangadeiro, Lula disse que entre a conquista da Copa do Mundo e a vitória da pré-candidata do PT à sua sucessão, a ex-ministra Dilma Rousseff, prefere a segunda opção.

''A resposta vai fazer com que alguns adversários meus coloquem como manchete de jornal 'Lula não quer que a seleção ganhe o título'. Obviamente que eu prefiro que o candidato que eu apoio ganhe as eleições porque estou pensando é no Brasil para os próximos quatro, para os próximos oito anos'', disse.

PIB

Ainda durante visita a Fotaleza, Lula comentou a alta de 9% do PIB no primeirto trimestre deste ano sobre o mesmo período de 2009. O presidente classificou o crescimento de ''exorbitante'' e afirmou que o Brasil ''precisava e merecia'' o resultado.

''Penso que nós vivemos um momento de ouro nesse país. Acabo de receber a informação de que o PIB nesse primeiro trimestre foi de 2,7%, anualizado dá um PIB de 9%, o que é um crescimento exuberante. Acho que o Brasil merecia e precisava disso'', disse Lula, durante a comemoração dos cinco anos do programa de microcrédito rural Agroamigo.

Por Nathalia Passarinho

veja também