MENU

Polícia ambiental prende suspeito de caçar onças no Pantanal em MS

Polícia ambiental prende suspeito de caçar onças no Pantanal em MS

Atualizado: Quinta-feira, 15 Setembro de 2011 as 12:11

PMA apreendeu pela de onça com aproximadamente 2,18 metros (Foto: Divulgação/PMA)

  Um homem foi preso nesta quarta-feira (14), em Porto Murtinho, a 454 quilômetros de Campo Grande, suspeito de caçar onças na região, localizada no Pantanal sul. Segundo a polícia, ele disse que teria sido contratado por produtores rurais e recebia R$ 1 mil por serviço. Foram apreendidas peles de três onças-pintadas, uma onça parda e uma jaguatirica.     A PMA informou que havia recebido denúncias de que um homem se apresentava a moradores na região de Porto Murtinho como caçador de onças e que teria sido contratado por fazendeiros. A polícia começou a investigar e encontrou o suspeito, em uma fazenda distante 62 quilômetros do município.

O suspeito, de 39 anos, mora em Bodoquena, a 260 quilômetros de Campo Grande e foi encontrado enquanto conduzia um trator em estrada vicinal. O homem confirmou que era caçador. Com ele, foi apreendida a pela de uma onça pintada, medindo aproximadamente 2,18 metros, abatida há pouco mais de dois dias.

Carcaça de onça pintada também foi encontrada

em canavial (Foto: Divulgação/PMA)

  Segundo a PMA, o homem disse que havia caçado ainda outros quatro animais e indicou onde havia escondido as peles, em um canavial. O material foi encontrado e confiscado, além da cabeça de um felino.

O suspeito explicou que matava os animais em sistema conhecido como jirau, em que fica à espera do felino, no alto das árvores e o atraía com uma isca.

Os restos dos animais e o trator foram apreendidos. O suspeito foi levado para a Polícia Civil de Porto Murtinho para esclarecimentos e liberado. Ele foi multado em R$ 50 mil pelo crime ambiental de abate de animais, pena prevista de seis meses a 1,5 ano de detenção, já que os animais constam da lista de espécies em extinção.

De acordo com a PMA, caso seja caracterizada a prática de caça profissional, a pena é triplicada, chegando a quatro anos e cinco meses de detenção. O suspeito já foi denunciado anteriormente por porte ilegal de arma.

Suspeito havia escondido peles de onças e jaguatirica em canavial (Foto: Divulgação/PMA)          

veja também