MENU

Polícia apura se aeronautas vendiam Rolex roubados em SP na Argentina

Polícia apura se aeronautas vendiam Rolex roubados em SP na Argentina

Atualizado: Quarta-feira, 8 Junho de 2011 as 12:56

Celulares e arma de brinquedo apreendidos (Foto: Letícia Macedo/G1)  

A Polícia Civil em São Paulo desmantelou na noite de terça-feira (7) uma quadrilha que nos últimos três anos aliciou crianças e adolescentes, fornecendo simulacros de armas para eles e os treinou para praticarem assaltos a pedestres e motoristas em áreas nobres da Zona Sul cidade. Cinco adultos foram presos a partir da denúncia de três menores de idade que já estavam detidos.

Os garotos contaram que aeronautas também estão envolvidos com o grupo criminoso, levando Rolex roubados para a Argentina. Por esse motivo, o delegado titular do 15º Distrito Policial, no Itaim Bibi, Paul Henry Bozon Verduraz, informou nesta quarta-feira (8) que irá apurar se comissários de bordo estariam servindo de "mulas"  para transportar dentro dos aviões os relógios importados roubados na capital até a Argentina.

A prisão dos suspeitos ocorreu após três meses de investigações a partir de informações dos adolescentes detidos. Os menores foram encaminhados para a Fundação Casa (extinta Febem) para cumprirem medidas sócio educativas.

Esquema

De acordo com o delegado, os menores de 18 anos de idade roubavam relógios importados, joias, telefones celulares, equipamentos eletrônicos e dinheiro das vítimas nos bairros do Itaim Bibi e Jardins. Em troca das mercadorias, os jovens recebiam cerca de R$ 200 dos chefes do grupo criminoso, que trabalhavam como ambulantes informais no centro da capital.

“Muitos dos menores que roubavam eram viciados em drogas e haviam sido aliciados pelo grupo em Ferraz de Vasconcelos, na Grande São Paulo. Foram mais de 90 menores pegos pelo grupo. Parte dos menores foi apreeendida na Fundação Casa, outra continua nas ruas. O dinheiro que os garotos ganhavam era usado para comprar crack, cocaína e maconha”, disse o delegado Verduraz.

Segundo o delegado, a quadrilha revendia parte dos produtos roubados na região da 25 de Março, tradicional centro de compras popular de São Paulo.

Os relógios, como Rolex, tinham outro destino. “Eram levados para a Argentina”, disse Verduraz, que investiga agora a suspeita do possível envolvimento de comissários de bordo de empresas áreas no transporte deles. “Segundo o depoimento dos menores que foram detidos após três meses de investigações, comissários de bordo funcionariam como ‘mulas’, levando a mercadoria para ser comercializada em Buenos Aires”.

Com os cinco homens presos foram encontrados três aparelhos de Iphone 4. “Três dos cinco presos por nossa equipe são os cabeças do grupo. Todos serão autuados por formação de quadrilha e corrupção de menores”, disse o delegado.          

veja também