MENU

Polícia Civil ouve responsáveis pela manutenção no Playcenter

Polícia Civil ouve responsáveis pela manutenção no Playcenter

Atualizado: Terça-feira, 5 Abril de 2011 as 1:20

A Polícia Civil de São Paulo está ouvindo nesta terça-feira (5) dois funcionários do Playcenter responsáveis pela manutenção dos brinquedos do parque de diversões da Zona Oeste da capital paulista. A polícia apura as causas do acidente com o Double Shock que deixou oito pessoas feridas na tarde de domingo (3), por volta das 17h40. As travas de segurança do aparelho se soltaram, aparentemente sozinhas, e derrubaram seis usuários que estavam no banco. Elas sofreram traumatismos pelo corpo, mas não correm risco de morte. Duas conseguiram se segurar e tiveram escoriações. Três das que caíram continuam internadas.   De acordo com o delegado Marco Aurélio Batista, titular do 23º Distrito Policial, em Perdizes, um desses dois empregados do Playcenter teria autorizado a liberação do Double Shock após ele apresentar uma pane e parar de funcionar três horas antes do acidente, perto das 14h30 de domingo (3). Três operários que cuidavam do funcionamento do brinquedo já foram ouvidos pela polícia na segunda-feira (6). Eles haviam dito que um sinal acendeu na sala de operação e que o responsável pela manutenção tinha sido acionado para resolver o problema.

“Estamos ouvindo o depoimento de duas pessoas responsáveis pela manutenção do aparelho”, disse o delegado Batista, durante a manhã desta terça. “Eles começaram a ser ouvidos por volta das 11h.” Ainda de acordo com o delegado, cinco das vítimas, que foram medicadas e liberadas, devem começar a ser ouvidas a partir da tarde desta terça.

Pelo terceiro dia seguido, peritos do Núcleo de Engenharia do Instituto de Criminalística da Polícia Técnico-Científica de São Paulo vistoriam e fizeram testes no Double Shock para saber o que provocou o acidente com o aparelho. De acordo com o perito José Manuel Dias Alves, os trabalhos visam buscar respostas para o que causou o destravamento do brinquedo.

“Estamos realizando testes no aparelho para tentar chegar a um consenso do que poderia ter causado a abertura dessas travas. Analisamos se foi falha humana ou mecânica. Também estamos checando se houve problema com o material, imprudência, imperícia ou negligência por parte de quem o operou”, disse o perito.

A entrada da imprensa não foi autorizada para acompanhar os trabalhos. De acordo com o perito, ainda não foi discutida a possibilidade da desmontagem do aparelho e, por enquanto, os testes estão sendo realizados dentro do próprio parque. José Alves também não informou se será necessário voltar outro dia para continuar os testes.

A assessoria de imprensa do Hospital Metropolitano, onde as três vítimas estão internadas, informou que apenas uma família autorizou a divulgação sobre o estado de saúde. Daniela Aparecida Pansarin, de 30 anos, deverá ter um boletim médico divulgado durante esta tarde. A equipe de reportagem do G1 apurou que outras duas pessoas estão internadas lá: uma criança de 12 anos e uma mulher de 20.

O Procon e o Ministério Público de São Paulo abriram investigações sobre o acidente. Foi o segundo acidente ocorrido no Playcenter nos últimos seis meses. Em outubro de 2010, 16 pessoas ficaram feridas na montanha-russa Looping Star. A Prefeitura informou que vai aumentar a fiscalização no parque.

“Eu determinei a todas as secretarias que têm vinculação no serviço de fiscalização que façam uma vistoria bastante rigorosa, até para que possam dar uma satisfação à sociedade. Familiares de crianças que diariamente lá brincam, jovens, famílias, e essa é a nossa obrigação, nossa finalidade”, disse o prefeito Gilberto Kassab.      

veja também