MENU

Polícia conclui inquérito e diz que sogra mandou matar nora grávida

Polícia conclui inquérito e diz que sogra mandou matar nora grávida

Atualizado: Terça-feira, 4 Outubro de 2011 as 3:21

Após ser atingida, mulher fugiu e sofreu acidente

(Foto: Reprodução/VNews)

  A polícia concluiu nesta terça-feira (4) o inquérito que investigava o caso da sogra suspeita de ter tentado matar a nora grávida a tiros em São José dos Campos, no Vale do Paraíba, interior de São Paulo. Segundo Mauro de Almeida, delegado titular do 5º Distrito Policial do município, a sogra e o marido de Francineri Alves, de 28 anos, são os mentores do crime. “O caso está concluído, já não tem nenhuma dúvida de que eles foram os autores. Foi um crime passional”, disse o delegado.

Segundo o delegado, o principal depoimento colhido foi o da própria vítima do crime, prestado na sexta-feira (30), quando ela ainda estava internada. Francineri afirmou que foi baleada seis vezes pela sogra quando estava dentro do seu carro, sendo que um dos tiros quase atingiu o bebê que está esperando. Seu marido teria observado a cena, que aconteceu na quinta-feira (29).

Ainda de acordo com o delegado, a sogra e o marido da mulher negam o crime, mas a investigação constatou que existem muitas contradições nos depoimentos deles. “Tem muita contradição no depoimento com relação ao local em que eles se encontravam durante o fato”, disse o delegado. O inquérito, concluído na manhã desta terça será encaminhado para a Vara do Júri de São José dos Campos, onde o caso deve ser julgado. O G1 tentou localizar o advogado de defesa de mãe e filho presos, mas ninguém foi encontrado até as 13h50 desta terça-feira para comentar o caso.

Perseguição

Francineri ficou internada por quatro dias em um hospital do Vale do Paraíba. Após a alta, ela contou como conseguiu sobreviver e fugir após a tentativa de morte. "A mãe dele [do marido] já veio com uma arma na minha frente. Ela disparou tudo o que ela tinha de munição e ele bem atrás dela, olhando. Eu fingi que estava morta, caí no banco do passageiro e tentei fugir quando eu vi que eles já tinham ido embora", disse.

Depois de sobreviver aos disparos, Francineri conseguiu ligar o carro e dirigir. O marido e a sogra a seguiram. Tentando escapar, a mulher entrou na contramão da Via Dutra e bateu o carro em um caminhão. Segundo ela, o socorro foi muito rápido. A sogra e o marido foram presos.          

veja também